Espaço Animal

Considere aspectos individuais antes de sacramentar vínculo com animal de estimação

Compartilhe:     |  30 de novembro de 2019

Tão importante quanto conhecer o local onde o pet será adotado ou comprado é ter conhecimento sobre o animal, que poderá exigir um espaço maior, atividade física intensa ou mesmo demandar mais atenção. Veterinários recomendam “investigar” o mascote antes, sobretudo se ele for um cachorro – pet preferido dos brasileiros.

“Pesquise sobre a raça e o tamanho ideal para sua família, lembrando que filhotes crescem; conheça o temperamento, o padrão comportamental e se prefere macho ou fêmea. Quem quer ter um cão precisa assumir um compromisso ético com a segurança e o bem-estar dele”, orienta a veterinária Paula Luiza Silveira de Felipe, professora no curso de Medicina Veterinária das Faculdades Promove.

Guarda responsável Samuel e Buzz

REFERÊNCIAS – Samuel já conhecia as particularidades da raça quando decidiu ter um buldogue inglês. Antes de comprar Buzz, pesquisou locais confiáveis na internet

Dever de casa

O estudante universitário Samuel Dias Fonseca, de 21 anos, fez o dever de casa direitinho ao escolher o cachorro com o qual iria conviver. Optou por um buldogue inglês – Buzz, de 2 anos –, raça que já namorava há mais tempo. “Sempre apreciei a personalidade. Diferentemente do que aparenta ser, são carinhosos e companheiros. Tudo que eu precisava naquela época”, conta.

Sophia Sartori, de 37 anos, também não abriu mão de conhecer as características de Duda – segunda de uma família de cinco pets – antes de adotá-la, há sete anos. “Morava num apartamento pequeno, sem área externa, e sabia que iam aumentar sujeira, gastos e a dedicação necessária. Antes de levá-la, visitei o local com a Cora (cadelinha mais velha) e me certifiquei de que a adaptação daria certo”, lembra a nutricionista, que também tem três gatinhas adotadas.

Guarda responsável Sophia Sartori e Duda

RECONHECENDO O TERRENO – Sophia procurou conhecer Duda antes de levá-la para casa; cadelinha mais velha dela, Cora também foi até o local onde a pet seria adotada para ter um primeiro contato com a irmã

Mesmos cuidados

Segundo a veterinária Paula Felipe, os cuidados que envolvem a adoção ou a compra de um animal são os mesmos. Ela recomenda sempre procurar um profissional, que irá orientar sobre os cuidados básicos iniciais como controle de vacinas e vermífugos e as principais necessidades de manejo conforme o tipo de bicho.

Independentemente da circunstância e para qualquer tutor, a dica número um da veterinária é: nunca abandone um animal!

Médica veterinária do Life Hospital Veterinário, Andréia Turchetti, pontua considerações fundamentais a serem feitas por quem pensa em ter um animal de estimação: 

– Antes de adotar ou comprar um animalzinho é preciso ter certeza de estar preparado para cuidar da nova vida. Lembre-se que eles são lindos, mas são também bagunceiros e precisam de tempo para aprender a fazer as necessidades nos locais adequados, por exemplo. Eles também geram custos e serão 100% dependentes dos humanos por toda a vida

– Uma vez decidido que animal se deseja ter, é hora de escolher o companheiro ideal. O porte deve ser compatível com o ambiente onde ele viverá, assim como o grau de atividade

– Ao comprar filhotes, procure estabelecimentos sérios – os canis devem ser filiados ao Kennel Club. Peça para conhecer os pais do animal e o ambiente onde vivem. Todos devem estar bem cuidados, com peso adequado,em ambiente limpo, ter água à disposição e espaço para brincar e correr

– Peça a documentação do animal e verifique se foram dadas as vacinas e vermífugos necessários

– Se optar por adotar um bichinho, conheça sobre o comportamento dele. Alguns gatinhos, por exemplo, podem ser muito dóceis, outros vão necessitar de mais tempo e paciência para virarem companheiros

– Seja qual for a escolha – adotar ou comprar – leve o animal para uma primeira consulta com o veterinário. Somente o profissional consegue avaliar e orientar sobre os melhores cuidados com cada indivíduo

– Castre seu cachorro ou gato. Dentre vários benefícios, a cirurgia evita doenças graves, como infecções e tumores, além de comportamentos indesejados como marcação de território, e ainda aumenta a expectativa de vida deles

Guarda Responsável



Fonte: Hoje Em Dia - Patrícia Santos Dumont



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais