Notícias

Consumo de cerveja sustentou antiga sociedade peruana, diz estudo

Compartilhe:     |  23 de abril de 2019

Um time de arqueólogos dos Estados Unidos publicou um estudo que revela a importância do consumo de cerveja  para o fortalecimento de traços culturais e a estabilidade política do império de Tiauanaco-Huari, que existiu no Peru há cerca de mil anos, entre 600 a.C a 1100 a.C. De acordo com os pesquisadores, essa foi uma das civilizações que deu origem ao povo Inca, uma das mais conhecidas sociedades latino-americanas.

“Esse estudo nos ajuda a entender como a cerveja ajudou na criação de organizações políticas complexas”, contou em comunicado, Ryan Williams, um dos autores do estudo e curador associado do Museu Field de História Natural de Chicago, Illinois, nos EUA.

Os pesquisadores encontraram em Cerro Baúl, nas montanhas da parte sul do Peru, um local de produção de cerveja que teria pertencido ao povo Huari, que tomava as bebidas em vasos de cerâmica.

Os itens encontrados na região foram analisados com diferentes técnicas, incluindo o uso de um laser para remover a poeira encrustada nos vasos, a fim de analisar a composição do conteúdo presente nas peças de cerâmica.

Em parceria com fabricantes de cerveja peruanos, pesquisadores reconstituíram a fabricação da "chucha", que era consumida pela sociedade do império de Tiauanaco-Huari  (Foto: Museu Field de História Natural de Chicago)

A bebida consumida era chamada de chicha e tinha prazo de validade de apenas uma semana após a produção. “Fabricar chicha é um processo complicado que requer experiência. Os experimentos nos ensinaram muito sobre como era a fabricação de chicha nas ruínas de uma construção e quanto trabalho e tempo faziam parte do processo”, relatou Donna Nash, co-autora do estudo e curadora adjunta do Museu Field de História Natural de Chicago.

Os pesquisadores ainda trabalharam com fabricantes de cerveja peruanos para recriar o processo de produção e checar se os ingredientes da chicha realmente podiam ser transferidos para os vasos.

Eles descobriram que a bebida era feita de pimentas que podiam nascer em regiões secas. A bebida não era produzida fora de Cerro Baúl, por isso, os demais membros da civilização tinham que vir até festivais da região, onde bebiam nos vasos de cerâmica, que eram ornamentados com deuses e líderes do império de Tiauanaco-Huari.

“As pessoas tinham que ir até o local para reafirmar a sua filiação com os deuses e talvez levar tributos e jurar lealdade ao Estado Huari”, explicou Williams. “ Acreditamos que os sistemas de fabricação e consumo de cerveja formaram uma unidade entre essas populações, mantendo-as juntas”.



Fonte: Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinário dá dicas importantes de como cuidar de cães e gatos com a continuação do isolamento social

Leia Mais