Notícias

Contêineres viram recifes artificiais rochosos no fundo do oceano

Compartilhe:     |  25 de junho de 2014

Pesquisadores do aquário de Monterey Bay, na Califórnia, têm estudado os impactos gerados por contêineres no fundo do oceano. As pesquisas tiveram início em 2004, quando um contêiner usado para transportar mercadorias caiu de um navio nas proximidades da costa norte-americana.

Há dez anos os cientistas analisam as mudanças ocorridas no oceano em consequência da presença de um grande material externo. O primeiro ponto observado pelos pesquisadores foi a baixa corrosão. Aparentemente, as baixas concentrações de oxigênio e a água com temperatura próxima ao congelamento diminui a velocidade na degradação dos materiais no fundo do oceano.

Além disso, o contêiner funcionou como uma espécie de recife rochoso, como era de se esperar. Alguns animais que necessitam de superfícies duras para se estabelecerem, como caracóis, vieiras e tunicados, foram atraídos até o contêiner. Mesmo assim, outros animais normalmente encontrados em recifes não foram identificados no local. Alguns exemplos não incidentes foram esponjas e crinoides, parentes das estrelas do mar.

Uma das possíveis justificativas para este cenário, segundo os cientistas, é a falta de tempo suficiente para o crescimento desses animais, que costuma ser lento. Outra possibilidade aponta para uma sensibilidade hipotética em relação aos efeitos tóxicos das substâncias usadas nos revestimentos dos contêineres.

As mudanças identificadas mostram uma grande influência causada pelo contêiner no ambiente ao seu entorno. Algumas espécies se tornaram muito mais comuns, enquanto outras, até mesmo mais perigosas, foram atraídas ao local. Além disso, ele foi considerado um obstáculo físico que afetou correntes no fundo do mar e uma possível fonte de materiais tóxicos.

Mesmo que a pesquisa tenha se concentrado em uma amostra muito pequena, os cientistas explicam que é necessário considerar estes impactos em proporções muito maiores em todo o mundo. É comum haver contêineres lançados ao mar em acidentes ocorridos nas rotas marítimas.

“Nós apenas começamos a caracterizar os potenciais impactos de longo prazo de um único contêiner em uma comunidade em alto mar. Embora os efeitos de uma amostra possa parecer pequeno, os milhares de contêineres perdidos no fundo do mar a cada ano poderiam, eventualmente, tornar-se uma importantes e perigosa fonte de poluição para os ecossistemas de profundidade”, explicou Josi Taylor, líder do estudo.



Fonte: Redação CicloVivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais