Notícias

Covid-19 é o “botão de reinicialização” para ação climática, segundo especialista

Compartilhe:     |  7 de setembro de 2020

Especialistas explicam como a pandemia oferece a chance de tirar o planeta da beira do abismo

A Covid-19 forneceu uma oportunidade crucial para fazer mudanças drásticas no combate às mudanças climáticas, disseram os especialistas por trás das Conferências de Natal da Royal Institution deste ano.

As palestras, “Planet Earth: A User’s Guide”, levarão o público a um mergulho profundo no funcionamento do nosso planeta, desde a formação rochosa e o clima antigo da Terra, até o papel fundamental dos oceanos e a composição do ar que respiramos. Cada uma das três palestras será apresentada por um cientista diferente de um trio de especialistas: a oceanógrafa Dra. Helen Czerski, a cientista ambiental Dra. Tara Shine e o geólogo Prof Chris Jackson.

“O que deixa nós três realmente empolgados é que não vamos contar a vocês sobre todas essas partes isoladas, vamos tentar mostrar como nosso planeta funciona e onde estamos como espécie dentro disso”, disse Shine, falando da Irlanda através do Zoom.

Entrando na conversa com uma grande imagem de uma lula bigfin bioluminescente atrás dela, Czerski disse que esperava que sua palestra encoraje os espectadores a ver que os oceanos são mais do que apenas a “parte azul” do planeta, mas o coração de seu motor. “O reservatório de água que a Terra possui, que é sua bateria de energia do sol – ela muda, carrega calor, retém calor, move-o, movimenta a química. Se não tivéssemos isso, a Terra seria inabitável”, disse ela.

Embora a série Blue Planet de David Attenborough em 2018 tenha sido creditada como impulsionadora de um esforço para reduzir o desperdício de plástico, Czerski espera que as palestras deste ano desencadeiem uma mudança maior na forma como vemos os oceanos. “As pessoas ficaram chateadas com o plástico. E tudo bem. Mas esse não é o ponto”, disse ela.

Para Jackson, as palestras trazem a oportunidade de definir como o clima mudou ao longo dos 4,5 bilhões de anos de história do planeta. Compreender os sistemas da Terra e nosso impacto sobre eles levanta questões cruciais. “Vamos dizer que o Antropoceno foi a época em que os humanos destruíram o planeta?”, disse Shine, “ou vamos dizer que foi a época em que os humanos quase destruíram o planeta e simplesmente o retiraram do abismo?”

A equipe acredita que a Covid-19 apresenta uma nova oportunidade de agir sobre as mudanças climáticas, à medida em que os países fazem mudanças drásticas em infraestrutura, empregos e investimentos.

“Uma das desculpas que as pessoas dão para não fazer nada sobre a mudança climática é: ‘Oh, existe esse sistema enorme e é muito difícil, muito caro ou muito difícil mudá-lo porque é assim que as coisas são’”, disse Czerski. “O que está acontecendo agora é que os sistemas estão tendo que mudar”.

“A Covid-19 é um botão de reinicialização”, disse Shine. A pandemia proporcionou uma oportunidade de desenvolver alguns progressos como o acordo verde da UE, ao mesmo tempo em que abriu debates sobre risco e resiliência. “Para sermos resilientes à próxima pandemia, temos que desenvolver algumas das mesmas habilidades e capacidades essenciais que precisamos ter para sermos resilientes às mudanças climáticas”, disse ela, acrescentando que tais desafios estão interligados.

Um crescente corpo de pesquisas descobriu que a destruição de ecossistemas permite que animais que carregam doenças potencialmente mortais se proliferem, aumentando o risco de outra pandemia. Mas, Czerski enfatizou, a Covid-19 estava longe de ser bem-vinda. “Os cientistas e legisladores que estão preocupados com a mudança climática são extremamente empáticos ao enorme sofrimento que um grande número de pessoas sofreu com esta pandemia”, disse ela. “A questão toda é que é assim que a mudança social se parece quando algo muda”.



Fonte: Anda - Christian Limberger



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais