Evite o Desperdício

Da jaca nada se joga: aproveite a fruta toda. Veja uma lista de receitas

Compartilhe:     |  6 de março de 2021

Para quem já torceu o nariz para a jaca por não apreciar o gosto da fruta, vai se surpreender com a quantidade de preparos que é possível fazer com ela e mais, através do aproveitamento integral da fruta.

A jaca pode ser dividida em 04 partes internas: polpa, mesocarpo (polpa fibrosa entre a casca e a polpa), eixo e as sementes. É possível utilizar todas as partes em diferentes possibilidades e com um ótimo rendimento.

Praticamente só há o descarte da casca, que pode virar um excelente adubo.

Polpa, semente e o “palmito”, o eixo da jaca, tudo pode e deve ser aproveitado. Só se tira a casca. Todo o resto é aproveitado: fibras, talos e embriões dos caroços.

Abundância desperdiçada

A jaca é uma fruta bastante comum e está presente em praticamente todo o país, sendo muito comum encontrar nas ruas das cidades, em parques, praças e até quintais de casa, apesar da árvore ser bastante frondosa.

No entanto, o fruto em si não é muito consumido e enfrenta um pouco de resistência por parte das pessoas, por causa da consistência, cheiro e sabor.

Porém, entre os vegetarianos e veganos virou moda e está entre as frutas queridinhas no preparo tanto de pratos doces e salgados.

A polpa da jaca verde tem sido utilizada em substituição à carne de frango, em preparos como coxinha, por exemplo. Isso porque, ela desfiada, fica com uma textura bem parecida. Também combina em moqueca, ensopados e dá para fazer até lombo.

Ficou curioso?

Quer aprender diversas formas de utilizar a jaca, madura, mole, verde, aproveitando todas as partes possíveis?

Mas antes, vamos conhecer melhor essa fruta e todos os seus benefícios

Jaca: que fruta é essa

A jaca (Artocarpus heterophyllus) é uma fruta originária da Ásia, é a maior de todas as frutas comestíveis, com grande produtividade no Brasil, sendo o país o maior produtor das Américas, porém pouco explorada tecnológica e comercialmente.

Existem alguns tipos de jacas e os mais comuns são a dura, que produz frutos maiores, e a mole, em geral mais doce, o fruto é menor e a variedade manteiga é mais adocicada.

De acordo com a pesquisa publicada pela Embrapa “Estudo da qualidade nutricional da jaca in natura e desidratada sob diferentes condições de secagem”, a jaca in natura apresenta

Portanto, pode-se afirmar que a jaca é rica em substâncias nutritivas, como carboidratos (18,9%), minerais (0,8%) e vitaminas (30 IU).

Já falamos aqui de alguns benefícios que a jaca traz.

Agora, é hora de conhecer as receitas para os diferentes usos dessa fruta, afinal, da jaca, aproveita-se até o caroço! 

Receitas

Comprovando que da jaca aproveita-se tudo, as receitas a seguir mostram a utilização da polpa, das sementes, e do palmito da fruta.

A jaca quando está madura, a sua polpa fica bem molinha.

É possível comê-la in natura, fazer doce ou até preparar um delicioso sorvete.

Sorvete de jaca

Quando a jaca está madura, é mole e é tão grande a quantidade de frutose e glicose, que ela não endurece ao congelar, excelente para fazer sorvete.

Para fazer esse sorvete é preciso retirar a polpa, separando-a das sementes.

Leve ao fogo com um pouco de rapadura (aproximadamente 2 colheres) e água (1/2 xícara). Quando começar a ficar transparente, desligue o fogo e depois leve à geladeira.

Depois que estiver endurecida, retire da geladeira e bata no processador com pasta de castanha (pode ser de amendoiminhame cozido ou até banana congelada) e canela.

Depois volte ao congelador ou leve na máquina de sorvete, se tiver.

Está pronto.

Essa receita é da Bela Gil e foi compartilhada por ela em seu Instagram

 

Carne de jaca

A jaca verde rende uma excelente “carne” e pode ser preparada de várias formas. De preferência, deve-se usar a jaca da espécie dura.

Quando a jaca está verde, basta descascar a fruta. A polpa dura, envolverá todo o corpo da fruta, de modo que não é possível ver nem os caroços, nem o eixo horizontal (bago) onde os caroços ficam dispostos e preso.

Assim, é possível fazer a jaca inteira, ou cortá-la em pedaços antes de cozinhar ou assar.

Depois de cozida, ela pode ser usada em pedaços como uma “alcachofra” em conserva ou na moqueca ou no picadinho, ou desfiada, para recheios de pastel, tortas ou salgados, em molhos para massa, ensopados, refogados, etc.

Como fazer

A jaca verde, depois de descascada, inteira ou em pedaços, pode ser cozida ou assada.

Se for cozinhar, melhor usar uma panela de pressão.

Para fazer a jaca inteira ou cortada na pressão, recomenda-se que a jaca seja bem verde, dura e pequena, como ensina o blog Come-se.

Na pressão

Coloque na panela de pressão a jaca com casca e tudo, porém pode ser cortada ao meio ou em pedaços para caber na panela, adicione um fio de óleo (vai ajudar a não formar tanta cola), cubra com água, tampe e leve para cozinhar em fogo médio por cerca de 50 minutos depois que pegou pressão ou até ficar macia.

Lá pelos 35 minutos, retire-a da pressão e abra a panela com cuidado, vire a jaca, preencha com mais um pouco de água quente e volte ao fogo até ficar macia. O tempo vai depender do tamanho da jaca.
Escorra, corte ou desfie, tempere a gosto e utilize como desejar.

No forno

Para fazer a jaca no forno, embrulhe a jaca verde e dura em papel alumínio e coloque sobre uma assadeira e asse até ficar macia, o ponto correto pode ser verificado com uma faca, que deverá atravessar com facilidade, aproximadamente 1 hora e 30 minutos.

Depois de assada pode usar a “carne” em vários preparos em pedaços ou desfiada.

Mas atenção! Não descarte o “miolo”, “eixo”, “bago” ou “palmito”, como queira nominar, nem as sementes, elas também serão aproveitadas.

Moqueca de jaca

Essa moqueca mostra uma outra forma de usar a jaca verde.

Ingredientes Marinada:

Montagem: corte em rodelas 1 e 1/2 Cebolas – 3 Tomates – 1 Molho de Coentro – 1 Pimentão.

Modo de preparo: Abra a jaca verde, pode cortar ao meio e leve na panela de pressão com casca e tudo. Depois de cozida, retire a casca e separe os caroços da polpa. Nessa preparação, só usa a polpa, a “carne” da jaca.

Numa panela, refogue a cebola no azeite de dendê e depois faça a montagem dos ingredientes, ao final, acrescente o restante do marinado com o 1 litro de leite de coco e deixe ferver. Adicione o dendê, misture e apague o fogo.

Assista o vídeo da receita:

Palmito de jaca

O palmito é o receptáculo onde se desenvolvem as bagas, os caroços da jaca, envolto da polpa. Quando retiradas as bagas e a polpa, sobra esse eixo que popularmente, por serem parecidos no formado, ganhou o apelido de “palmito”.

Essa receita fica parecendo um lombinho assado. Alguns chamam de lombo de jaca. Fica muito saboroso, na verdade ele vai absorver o sabor dos temperos usados.

Para fazer, é necessário, retirar a polpa e os caroços e utilizar somente o “palmito” ou o “eixo” da fruta.

Ingredientes

Modo de Preparo

Bata no liquidificador todos temperos, exceto o palmito de jaca e o abacaxi. Forre uma assadeira com o abacaxi. Arrume o palmito em cima das fatias de abacaxi e jogue a marinada por cima do palmito de jaca. Coloque para assar no forno a 180° por 30 minutos.

A receita é da Bela Gil, e nesse vídeo ela ensina como fazer.

Sementes de jaca

As sementes são um caso à parte. Deliciosas, super nutritivas, quando cozidas, lembram a aparência e o sabor do pinhão.

A semente de jaca pode ser fermentada, cozida, salteada ou torrada em forno ou assada à brasa.

Da semente é possível obter uma farinha com alto teor de proteína.

Semente cozida, assada, salteada, braseada

A semente ou caroço da jaca é delicioso e para consumir, basta cozinhar.

Depois de cozida na água com sal ou no vapor, ela pode ser consumida com sal, ou assada com novos temperos, salteada, braseada e até com açúcar!

Para fazer, separe o caroço da jaca e retire a pele, cozinhe na água fervente com sal por cerca de 20 minutos. Depois de fervida, ainda fica uma casquinha na semente que precisa ser retirada.

Depois é só levar para assar com sal e um fio de azeite, pode inventar vários temperos a seu gosto.

Outra forma é saltear as sementes de pois de cozidas numa frigideira com azeite e tempero.

Patê de semente de jaca

Com a semente cozida, dá para fazer um delicioso e nutritivo patê.

Cozinhe na pressão 2 xícaras de caroços de jaca por 25 minutos com sal – reserve 3 dentes de alho e cebola picada refogados no azeite.

Bata no liquidificador ou multiprocessador cebolinha, manjericão, salsinha, cheiro verde a gosto com 1/2 copo de água fervente – azeite a gosto – sal a gosto – os caroços limpos e descascados – 3 colheres parmesão ralado.

Está pronto.

A receita está disponível no Youtube:

Compota de semente de jaca

Com a semente de jaca é possível fazer uma deliciosa compota.

Ingredientes

Lave bem os caroços de jaca e leve-os para cozinhar em água com uma pitadinha de sal, panela de pressão, por 20 minutos contados a partir do início da fervura.

Espere esfriar e descasque os caroços, retirando a casca e a pele amarronzada, deixando os caroços bem clarinhos.

A quantidade de açúcar vai depender do tamanho da jaca e da quantidade de caroços.
E a quantidade de água é sempre a metade da de açúcar.

Misture o açúcar, a água, a canela e os cravos e leve ao fogo para ferver.

Quando ferver, adicione os caroços e deixe cozinharem por mais 15 minutos.

Essa receita é do Receitas Sem Fronteiras.

Chocolate de jaca

Um grupo de pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), em colaboração com (Fatec), Unimep e University of Reading, na Inglaterra, com apoio da agência Fapesp, descobriu que a farinha da semente da jaca dura (Artocarpus heterophilus) poderá substituir o cacau na formulação de produtos com aroma, mas sem o sabor de chocolate.

A pesquisa identificou que compostos voláteis encontrados em sementes da fruta produzem muitos dos aromas obtidos de amêndoas de cacau.

Por isso, poderiam facilmente substituir as sementes de cacau, potencialmente mais caras e menos abundantes, usadas em cosméticos, alimentos e bebidas.

A partir das sementes torradas, os pesquisadores obtiveram a farinha de jaca e utilizaram essa farinha para substituir o pó de cacau usado na preparação de cappuccino.

Os resultados dos testes indicaram que essa farinha foi capaz de substituir o aroma de chocolate proveniente do cacau, sem interferir no sabor de café da bebida.

Solange Guidolin Canniatti Brazaca, professora da Esalq-USP e coordenadora do projeto, disse que as pessoas que provaram a bebida “não perceberam nenhuma diferença do aroma de chocolate obtido da semente de jaca em comparação com a produzida por amêndoas de cacau”.

Realmente a jaca é incrível. Não desperdice essa abundância de utilidades.



Fonte: GreenMe - Juliane Isler



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

O pet precisa de suplementação alimentar equilibrada

Leia Mais