Notícias

Danos cerebrais fazem as pessoas se tornarem mais egoístas, diz estudo

Compartilhe:     |  22 de abril de 2019

Uma pessoa ser cooperativa vai muito além de sua vontade: depende das características do seu cérebro. Uma equipe de psicólogos da Universidade de Nova York estudou a teoria de que a cooperação poderia estar ligada diretamente ao córtex pré-frontal dorsolateral (DPC, na sigla em inglês), uma área do cérebro envolvida no controle da regulação e na busca de objetivos. A hipótese faria sentido já que a cooperação faz com que a pessoa ignore o impulso egoísta de pensar apenas em si.

Para testar a teoria, os pesquisadores conduziram um experimento envolvendo participantes com danos cerebrais ao DPC — e descobriram uma grande dificuldade de cooperação nestes indivíduos. No estudo publicado no ano passado na revista Social Cognitive and Affective Neuroscience, foram recrutados 26 participantes sem danos nesta parte do cérebro, juntamente com 33 participantes com danos cerebrais: oito com danos no lobo frontal, 14 com danos na amígdala e 11 com danos em outras áreas do cérebro.

Os participantes foram divididos em grupos de quatro e, em seguida, passaram por 20 rodadas para tomar decisões: cada pessoa recebeu US$ 8 e deveria escolher entre manter a quantia para si ou compartilhá-la igualmente com o grupo. Após cada rodada, os participantes viram se os outros membros do grupo escolheram compartilhar. No geral, os participantes compartilharam seu dinheiro em 38,5% do tempo.

O resultado mostra que os participantes com danos ao seu DPC eram mais propensos a manter o dinheiro para si mesmos. “A superação dessa intuição de ser egoísta exige que eles regulem sua resposta”, afirma Jay Van Bavel, professor de psicologia da Universidade de Nova York e um dos autores do estudo.

A grande surpresa foi o comportamento de um participante cujo DPC era completamente destruído — mas tinha o resto do cérebro intacto. “Você via um grande buraco negro onde seu DPC deveria estar”, diz Van Bavel, que conta que essa pessoa não dividiu o dinheiro nenhuma vez. “Ele era completamente egoísta.”

Embora este estudo seja focado em uma forma particular de cooperação, os pesquisadores sugerem que alguém que não coopera em um contexto geralmente também não coopera em outros. Isso significa que a pessoa seria suscetível a furar fila ou receber crédito pelo trabalho de outras pessoas em seu cotidiano.



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais