Espaço Animal

Dente-de-leão: uma planta benéfica também para saúde dos cães

Compartilhe:     |  18 de julho de 2021

©Vincent van Zalinge/Unsplash

De erva daninha essa planta não tem nada! Há tempos o dente-de-leão vem sendo estudado por suas propriedades medicinais, que beneficiam humanos e também animais.

Este conteúdo traz informações coletadas de sites especializados em cuidados com animais de estimação, e de estudos científicos sobre as propriedades e os benefícios do dente-de-leão, devidamente linkados ao longo do conteúdo para os leitores que quiserem se aprofundar nas pesquisas.

O dente-de-leão (Taraxacum officinale) pode beneficiar a saúde dos cachorros, desde que usado de forma adequada, com a supervisão e o acompanhamento de um veterinário. Por isso, se quiser administrar essa planta em seu pet, indicamos consultar um veterinário antes.

Dito isto, conheça as propriedades do dente-de-leão, os benefícios, as pesquisas que comprovam a eficácia dessa planta no tratamento de doenças, e como utilizá-la para beneficiar a saúde do seu cachorro.

Propriedades

As raízes, flores e folhas do dente-de-leão possuem várias propriedades curativas, tais como:

Uso medicinal do dente-de-leão ao longo da história

O dente-de-leão vem sendo utilizado como remédio há milhares de anos.

Há muito tempo, os europeus utilizam essa planta como tônico, que ajuda a curar e a prevenir várias doenças.

Essa planta foi trazida para o Novo Mundo (continente americano) pelos colonizadores europeus e os indígenas passaram a fazer uso dela também.

Em 1831, o dente-de-leão foi incorporado à Farmacopéia dos Estados Unidos como um medicamento tônico e diurético de amplo espectro.

Benefícios do dente-de-leão para os cães

Pelo desconhecimento de muitas pessoas, o dente-de-leão é considerado uma erva daninha, um mato, devido à sua facilidade de se propagar. Por isso, acaba sendo arrancado e jogado fora quando poderia ser utilizado como alimento ou até como remédio natural. Um verdadeiro desperdício!

Para findar com o desconhecimento sobre os atributos maravilhosos dessa planta, segue uma lista de seus benefícios para melhorar a saúde tanto de humanos, quanto dos pets:

É nutritivo

As folhas frescas de dente-de-leão são fonte de:

Age como tônico digestivo amargo

Desde tempos remotos, os tônicos amargos são conhecidos e utilizados na Europa e na Ásia.

Esses tônicos são formulados com o dente-de-leão e outras plantas amargas, que comumente são consumidas antes das refeições para estimular a secreção dos sucos digestivos.

Quando a erva amarga é ingerida, provoca o aumento da salivação, estimula a produção da bile e outros agentes digestivos, melhorando a digestão do alimento e a absorção de seus nutrientes.

Se o pet tem problemas digestivos frequentes, como gases ou má-digestão, o dente-de-leão pode ser um alívio para esses distúrbios.

Tem efeito diurético

O dente-de-leão age como diurético (elimina retenção de líquido).

Através desse benefício, essa planta ajuda a prevenir:

Estimulante hepático

A raiz do dente-de-leão serve como tônico para o fígado, potencializando as suas funções hepáticas.

O fígado é o principal órgão responsável por filtrar e remover as toxinas do sangue, que posteriormente serão eliminadas pelos rins.

Além disso, o fígado produz enzimas importantes para a digestão.

Qualquer disfunção no fígado acarreta desequilíbrios, como:

Uma preparação da raiz de dente-de-leão pode ser eficaz no tratamento de doenças inflamatórias do fígado, devido à sua ação de reduzir toxinas que prejudicam a função hepática.

Controle da diabetes

A Diabetes Mellitus pode ocorrer em cães quando o pâncreas não produz adequadamente insulina.

Sem insulina suficiente, o corpo do cão não aproveita com eficiência as proteínas, gorduras e glicose dos alimentos.

Existem evidências de que a raiz do dente-de-leão possui propriedades semelhantes à insulina, por conter inulina, uma fibra dietética, que contribui para equilibrar os níveis de açúcar no sangue.

Tal propriedade pode atuar beneficamente tanto em humanos, quanto em animais diabéticos.

Bom para os olhos

O dente-de-leão combate infecções e pode ser usado como colírio natural para lavagem ocular, agindo como adstringente e desinfetante dos olhos.

Sendo assim, o chá de dente-de-leão pode ser usado para aliviar sintomas de conjuntivite e irritações oculares em geral.

Como preparar esse chá:

  1. Use 1 ⁄ 4 colher (chá) da decocção (fervida em água) da raiz de dente-de-leão diluída em 30 ml de soro fisiológico.
  2. Faça compressa com gaze embebida nessa solução ou pingue 1 gotinha no olho afetado.

Melhora a imunidade

As raízes do dente-de-leão tem ação imune estimulante e fortalecedora da imunidade.

Possui ação anti-inflamatória

O dente-de-leão vem sendo utilizado na fitoterapia para reduzir a inflamação e aliviar a dor, graças à ação dos polifenóis, alcalóides, flavonóides e terpenóides contidos nele e que têm efeito anti-inflamatório.

Age como antioxidante

Os radicais livres podem se tornar a causa de várias doenças, como:

Os antioxidantes previnem e combatem os efeitos dos radicais livres.

As folhas e flores do dente-de-leão têm altos níveis de antioxidantes como o betacaroteno por exemplo.

Alimentar o cão com dente-de-leão, além de fortalecer o sistema imunológico, protegerá o organismo dele contra os danos dos radicais livres. Dessa forma, o dente-de-leão contribui para retardar o processo de envelhecimento canino.

Tem ação antimicrobiana

O chá da raiz ou flores de dente de leão combate infecções e pode ser utilizado para tratar feridas e lesões na pele.

Atua como anticancerígeno

Diversos estudos sobre a ação anticancerígena da raiz de dente-de-leão têm tido resultados promissores e seguem em andamento para saber como será possível empregar essa planta em tratamentos quimioterápicos.

Segue uma lista desses estudos, devidamente linkados para quem quiser saber mais sobre essas pesquisas:

  1. Desde de 2009, a University of Windsor vem estudando a raiz de dente-de-leão com o objetivo de apresentar evidências científicas sobre o uso seguro e eficaz do seu extrato para o tratamento do câncer.
  2. Alguns desses estudos ocorreram em 2012, relatando que o extrato da raiz do dente-de-leão foi capaz de induzir à apoptose (morte ou eliminação programada) células cancerígenas no pâncreas, retardando seu crescimento ou prevenindo sua disseminação.
  3. No tratamento da leucemia, os resultados indicaram que o extrato de raiz de dente-de-leão têm grande potencial como alternativa não tóxica e eficaz, aos modos convencionais de quimioterapia.
  4. As pesquisas da University of Windsor vêm avaliando, com resultados promissores, o efeito do extrato da raiz do dente-de-leão sobre vários tipos de células cancerosas humanas, onde foram observadas sua eficácia contra:

Tudo isso, sem toxicidade para células não cancerosas.

Recentemente, em 2017, este outro estudo foi feito para identificar os componentes ativos do extrato de raiz de dente-de-leão nas células cancerosas e no linfoma humano.

Como dar o dente-de-leão para seu cão

Para administrar o dente-de-leão na dieta do pet canino, ou como remédio natural, você pode usar as raízes, as folhas ou as flores do dente-de-leão, frescas ou secas.

Seguem as formas e dosagens de administração de dente-de-leão em cães:

Folhas frescas

Adicione flores ou folhas picadas no alimento de seu cão, na seguinte proporção:

Observação: você pode bater as folhas no liquidificador com um pouco de água e adicionar à refeição.

Folhas e raízes desidratadas

Você pode também adicionar no alimento de seu cão, 1 colher (chá) das raízes ou folhas desidratadas e bem trituradas (como farinha), para cada 10 kg de peso corporal.

Tônico para uma boa digestão

Pelo menos meia hora antes da refeição, misture as folhas de dente-de-leão picadinhas ou batidas com um pouco de caldo que ele aprecia para estimulá-lo beber, ou adicione 1 colher (chá) de dente-de-leão à refeição dele.

Chá de dente-de-leão

Para fazer o chá de dente-de-leão para seu cão, use 1 colher (chá) de dente-de-leão desidratado em  1 xícara (chá) de água fervente e deixe em infusão por 10 a 15 minutos.

Dosagem:

1/3 de 1 xícara (chá) para cada 10 kg de peso corporal do seu cão, até 3 vezes ao dia.

Cuidados na administração

O excesso de ingestão de dente-de-leão pode causar:

Possíveis efeitos colaterais

Em geral, o consumo dente-de-leão é considerado seguro e bem tolerado, entretanto, dependendo do organismo, algumas pessoas e animais podem apresentar alguns efeitos colaterais, tais quais:

Contraindicação

Alérgicos às plantas camomilamil-folhascalêndula, matricária, ambrósia, crisântemo, girassóis e margaridas, devem evitar raiz de dente-de-leão, pois esta poderá provocar sintomas de alergia, como erupções na pele, olhos lacrimejantes e outros sintomas de alergia.

Aos indivíduos que tenham alergia ao látex ou ao iodo, é contraindicado o dente-de-leão, porque essa planta contém esses componentes.

Grávidas, lactantes (humanas e caninas), crianças e filhotes caninos não é recomendável administrar remédio com dente-de-leão devido à falta de pesquisas nessas condições.

Interações medicamentosas

O dente-de-leão pode interagir com certos medicamentos, alterando os efeitos deles. Por isso, se seu cão está sendo tratado com algum medicamento, consulte o seu veterinário para as devidas orientações.

Seguem alguns dos medicamentos com os quais o dente-de-leão interage:

Dente-de-leão: a cura pela Natureza

Como visto, o dente-de-leão vem sendo continuamente estudado pela ciência e tem se mostrado com muitos atributos curativos.

Esse conteúdo traz todas essas informações com o objetivo de difundir esse conhecimento, porém não tem a intenção de substituir a avaliação e o diagnóstico do veterinário.

Somente um veterinário pode prescrever tratamento ou dieta adequada para as necessidades e problemas de saúde específicos de seu animal de estimação.

Nesse contexto, antes de fazer uso de uma terapia alternativa, consulte o médico veterinário do  seu pet. O ideal é que seja um especialista em medicina veterinária holística ou fitoterápica, pois ele tem um entendimento maior da aplicação de plantas para tratamentos em pets

Seguindo essas orientações, é possível obter bons resultados sem colocar em risco a saúde do seu querido peludinho.

Desejamos que estas informações sejam úteis, tanto para tutores, quanto veterinários em prol de oferecer melhor qualidade de vida aos nossos amados pets!

Para mais informações sobre o dente de leão, confira em os links abaixo:

Saiba mais cuidados naturais que você pode utilizar em seu cão, consultando:



Fonte: Greenme - Deise Aur



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como não repreender seu cachorro – Dicas de cuidados e educação

Leia Mais