Notícias

Destaque: Espaço Ecológico publica artigo de Magda Maya sobre o ABC da sustentabilidade

Compartilhe:     |  6 de outubro de 2020

A escritora e consultora em sustentabilidade, Magda Helena Maya, publica artigo no Espaço Ecológico, onde apresenta o ABC da sustentabilidade, com destaque para as 05 “coisas” essenciais à vida, ar, água, alimento, abrigo e amor.

Confira o texto na íntegra:

ABC da sustentabilidade – Começando com a letra A 

Por Magda Maya* 

Você já prestou atenção em quais são as 05 “coisas” essenciais à vida, sem as quais você não poderia viver razoavelmente bem ou mesmo nem conseguiria se manter vivo?

Pensar nisso em um contexto social onde o consumismo, as redes sociais e manipulação midiática predominam fica muito difícil não é mesmo?

Isso porque a maioria de nós está vivendo quase o tempo todo no modo “piloto automático”, onde acordamos para trabalhar, trabalhamos pra comprar coisas e compramos coisas pra descarta-las.

Estando nesse piloto automático nem sempre prestamos atenção no essencial para a nossa própria sustentabilidade enquanto criaturas vivas e pertencentes à natureza.

Contudo, a pandemia pela qual estamos passando, forçou muitos de nós a modificar nossas rotinas e consequentemente alterar os hábitos cotidianos (inclusive os de consumo) e isso nos oportunizou lembrar do que realmente é essencial à nossa existência.

Então aqui vai uma pequena e breve lembrança sobre 05 coisas essenciais para nossas vidas, as quais – coincidência ou não – começam com a Letra A:

AR – O limite humano sem respirar é de 03 minutos

Sem oxigênio, neurônios são perdidos até que ocorra a morte cerebral. Nesse pequeno espaço de tempo o coração pode sofrer lesões e infartos.

ÁGUA – O limite humano sem ingerir água é de 04 dias

Nosso corpo tem aproximadamente 40 litros de água. Ao perder cerca de 20% dessa água, as células murcham e o sangue fica viscoso, dificultando o trabalho do coração. Resultado: mal-estar, inconsciência e, no fim, morte.

ALIMENTO – O limite humano sem ingestão de alimentos é de 20 a 30 dias

Sem alimento a taxa de glicose despenca no sangue. Por sua vez o corpo começa a consumir seus estoques de gorduras. Depois, avança sobre as proteínas, até que se atinja o estado de inanição, onde há alteração da pressão arterial, comprometendo os órgãos internos e culminando na morte.

ABRIGO – Limite humano para calor: cerca de 50ºC (temperatura ambiente); Limite humano para frio: cerca de -27ºC

Aqui estão considerados os abrigos construídos e também as vestimentas. Ou seja, todo o aparato para que sejamos capazes de suportar frio ou calor.

AMOR – Vamos falar de solidão?

Um estudo realizado pelas universidades Britânicas de York, Liverpool e Newcastle, associando a solidão com problemas de saúde, onde 181 mil pessoas foram acompanhadas em seus cotidianos. A conclusão foi que quem vive sem amigos e longe da família tem 30% mais chances de ter um ataque cardíaco ou um derrame. 

De acordo com a pesquisa, isso acontece porque as pessoas mais solitárias tendem a cultivar hábitos nocivos, como fumar, beber e não praticar esportes. Mas outros estudos já explicaram essa relação de uma forma mais orgânica: ter amigos diminui o nível de cortisol (hormônio ligado ao estresse) no organismo, o que minimiza os riscos de sofrer de problemas do coração. 

OK! Agora que falamos sobre esses 05 “As” essenciais para a vida e nosso bem-estar, vamos fazer a ponte sobre o que isso tem a ver com natureza, sustentabilidade e ecoalfabetização**.

Ar, Água e Alimento vocês já devem saber que são todos fornecidos pela natureza sim?

Tudo, absolutamente tudo o que temos depende da natureza e seu sistema climático em condições de normalidade, dentro daquilo que conhecemos há cerca de 10.000 anos (revolução agrícola).

Então vejamos:

  1. Se a temperatura do planeta está se modificando sem que saibamos exatamente onde vai parar, a tendência é que haja uma maior escassez hídrica em algumas áreas e grandes desastres de alagamentos em outras áreas. Some-se a isto o fato de estarmos poluindo nossas águas e aterrando rios, riachos e lagoas. O resultado é um grande risco de escassez da água, esse elemento essencial às nossas vidas.
  1. Se a temperatura do planeta está se modificando sem que saibamos exatamente onde vai parar, a tendência é que as culturas agrícolas sejam cada vez mais dependentes de defensivos e fertilizantes químicos ou até mesmo sejam completamente inviabilizadas, ampliando o risco de escassez de alimentos e/ou de envenenamento por agroTÓXICOS.
  1. Se a temperatura do planeta está se modificando sem que saibamos exatamente onde vai parar, a tendência é que a temperatura ambiente (principalmente nas cidades) fique cada vez mais intolerável (para mais quente em algumas áreas e para mais frio em outras), comprometendo inclusive nossa capacidade de ir e vir confortavelmente pelas ruas e em alguns casos até de respirar. Isso também comprometerá de maneira severa nossas habitações. Seremos obrigados a adaptar ou adquirir produtos para sobreviver dentro de casa.

Agora vamos falar de amor:

Diante de tudo o que foi dito, é preciso entender que:

  1. sem boas condições de vida nas cidades (ar limpo e temperatura amena);
  2. sem garantias sobre disponibilidade e qualidade de água e alimentos com riscos de saúde associados; e
  3. sem o direito de ir e vir confortavelmente (do ponto de vista térmico) encontrar pessoas;

nos tornaremos cada vez mais solitários e isolados em nossos abrigos e cada vez mais dependentes de relações virtuais e de consumo de COISAS (agora sim sem aspas), as quais serão adquiridas para preencher esse imenso vazio que somente as relações afetivas são capazes de amenizar.

Então, se a imagem de uma tartaruga marinha morta não te faz pensar em praticar a sustentabilidade; ou se a imagem de uma floresta incendiando não te faz pensar em todas as vidas perdidas ali, talvez, entendendo que você não está apartado da natureza e sua própria vida depende do bom funcionamento de todo esse grande sistema planetário você possa finalmente compreender que lutar pela SUSTENTABILIDADE é antes de tudo, lutar pela manutenção da VIDA.

Dito isso, concluo deixando a seguinte pergunta: você tem ou não a ver com a sustentabilidade planetária?

Reconecte-se!

 

** ECOALFABETIZAÇÃO: Conceito criado por Fritjof Capra para nos alertar que precisamos entender como a natureza vive e funciona para que sejamos capazes de criar uma sociedade efetivamente sustentável.

*Magda Helena Maya é autora do Livro Sustentabilidade 4.0 e doutora em Desenvolvimento e Meio Ambiente, além de ecoalfabetizadora e artista

Redes Sociais: @palavrademaya

 



Fonte: Espaço Ecológico



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais