Notícias

Dia da Terra: momento de refletir sobre o futuro do nosso planeta

Compartilhe:     |  22 de abril de 2019

O Dia da Terra é comemorado anualmente em todo o mundo no dia 22 de abril. A data foi criada em 1970 e seu marco foi um fórum ambiental organizado pelo senador norte-americano Gaylord Nelson, que atraiu a atenção de mais 20 milhões de pessoas sobre a importância da preservação do planeta para a sobrevivência da humanidade.

O estopim para a criação da data foi a explosão em uma plataforma de extração de petróleo na costa de Santa Bárbara, nos EUA, em 1969. O acidente despejou cerca de 3 milhões de galões de óleo e foi responsável pela morte de pelo menos 10 mil animais e aves marinhas. Este desastre ambiental incentivou a criação de diversos movimentos e ações de ativistas em prol da preservação do meio ambiente.

Syed Zakir Hossain / Greenpeace

A Organização das Nações Unidas (ONU) só oficializou a comemoração em 2009, na 80º Assembleia Geral das Nações Unidas. A data também é chamada pela ONU de “Dia Internacional da Mãe Terra”. Não há muito o que comemorar. Ano após anos o planeta testemunha o aumento de catástrofes e acidentes que causam dados incalculáveis por todo o mundo. Muitos deles causados pela ação e interferência humana na natureza.

Palavras que se tornaram comuns na imprensa como mudança climática, poluição, desmatamento, agrotóxicos, insustentabilidade e extinção de habitats ilustram um mosaico do futuro que o ser humano construiu para as próximas gerações. Um relatório apresentado pela World Wide Fund for Nature (WWF) aponta que o ser humano é responsável por cerca da extinção de 60% de toda a vida selvagem do planeta. Estima-se que a cada 24h pelo menos 150 espécies de fauna e flora sejam extintos.

Foto: Pixabay

O mundo está à beira do colapso. Ambientalistas acreditam que a Terra chegou ao seu ponto sem retorno, que significa que os seres humanos exploraram os recursos naturais de forma irreversível e muito mais rápida e intensamente do que o planeta consegue se regenerar.

Anualmente produzimos cerca de 150 milhões de toneladas de plástico de uso único. Grande parte desse material é descartado nos oceanos, sendo fatal para a vida marinha. Um estudo conduzido pela Universidade Médica de Viena detectou pelo menos 10 tipos de microplásticos no organismo de seres humanos, sendo o mais comum o propileno, usado principalmente para a fabricação de garrafas PET.

Foto: Pixabay

As más notícias não param por ai. Segundo dados projetados pela ONU, até 2050 o mundo poderá ter mais de 2,2 bilhões de pessoas. O modelo atual não será suficiente para suportar a grande densidade demográfica esperada e cenários apocalípticos podem deixar de ser apenas cenas de filmes.

Foto: Pixabay

2019: reflexão

A ONU propôs como tema para o Dia da Terra 2019 o desafio “Vamos proteger nossas espécies”, visando conscientizar sobre a importância da biodiversidade para o equilíbrio do planeta. A data será comemorada por mais de um bilhão de pessoas em 190 países. São esperadas manifestações, fóruns, palestras e uma série de atividades incentivando a população mundial a adotar estilos de vida que não sejam nocivos ao meio ambiente.

Reprodução | Google

Segundo informações do portal espanhol El Pais, nesta segunda-feira (22) também será celebrado o nono Diálogo sobre Harmonia com a Natureza da Assembleia Geral das Nações Unidas na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, e vai focar no tema A Mãe Terra na Aplicação da Educação sobre as Mudanças Climáticas.

 

Em comemoração ao Dia da Terra, o Google criou um doodle especial com a ajuda de nove pessoas lideradas pelo artista Kevin Laughlin. A animação interativa que está sendo exibida em todo o mundo faz uma viagem através do planeta explorando as complexidades de forma de vidas incríveis como o albatroz-errante e a sequoia-vermelha. “Se você tiver que escolher apenas um dia por ano para lembrar que somos todos desta terra tanto quanto uma minhoca, uma montanha ou uma árvore, o Dia da Terra pode ser este dia”, disse Laughlin.

Reprodução | Google

Uma saída possível

O cenário é pessimista, mas há soluções que podem ser praticadas para minimizar os danos e criar uma oportunidade para o futuro da Terra. Uma delas é a adoção de um estilo de vida vegano e livre de exploração animal. Já foi comprovado que o processo de criação de animais para consumo humano é o principal agente poluidor e contribuidor para o desmatamento e aquecimento da temperatura do planeta.

Foto: Pixabay

Uma dieta vegetariana estrita também pode ser a responsável pelo maior acesso de alimento a toda população mundial, reduzindo impactos ambientais, desigualdades sociais e fomentando um novo modelo econômico sustentável e uma geração de seres humanos mais compassivos e pacíficos, atentos às necessidades do planeta, de seus semelhantes e de todas as espécies vivas do planeta.

Foto: Pixabay

Pequenos gestos e escolhas podem fazer toda a diferença: separar e reciclar o lixo, plantar uma árvore, apagar as luzes quando possível, economizar água, consumir menos e reaproveitar mais. Que diferença você vai fazer para o mundo hoje?



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais