ClatieK/Creative Commons

Quem não ama aqueles vídeos de crianças ganhando aquele cachorrinho fofo?! Imagine a alegria de abrir a caixa e encontrar o tão sonhado gatinho!

Com a proximidade do Dia das Crianças, não é raro que pets se tornem uma opção irresistível de presente pelas mais diferentes razões. Desde o pedido constante dos filhos até a vontade da família em adotar um animal que precisa de um lar. Se essa for a escolha, importante saber que entre os inúmeros benefícios que a interação entre pets e humanos traz está a oportunidade de ensinar às crianças valores importantes. Já que cuidar de um gato ou cão exige compromisso e dedicação.

Tori Behr/Creative Commons

Porém, ter um animal de estimação é uma decisão da família toda, incluindo as crianças. É importante que todos passem pelos inúmeros passos de adquirir um peludo. Desde a lista com os desejos de cada um, a escolha da ONG para adoção ou canil idôneo para compra, até a chegada do peludo em casa. Pular qualquer uma dessas fases, pode fazer com que a criança perca um aprendizado importante, como a escolha da ONG, ou mesmo a vivência de ver todos os animais que estão a espera de um lar.

Buscamos poupar as crianças de cenas como essas: centenas de animais latindo e chorando para serem os próximos a encontrarem um lar. Mas as crianças são muito mais fortes e preocupadas com a causa animal do que imaginados. Fazer uma visita ou mesmo um dia de trabalho voluntário em um abrigo de cães poderá ajudar a construir o caráter dessa criança e entender a responsabilidade e consequências de se ter um animal.

Sharels Gnil/Creative Commons

Oferecer um cachorro ou um gato, como quem ganha um ursinho de pelúcia pode facilitar a perda de interesse pela criança, bem como a falta de comprometimento com seu bem-estar. Ter um animal é muito mais do que levá-lo para passear e fazer carinho. É necessário entender suas necessidades como indivíduo e buscar como oferecer uma melhor qualidade de vida.

Mas não há dúvidas dos benefícios de uma criança ter uma animal de estimação. Estudos realizados pelo Centro de Nutrição e Bem-Estar Animal Waltham, parte da Mars Petcare, mostram que a interação com pets é muito benéfica, tanto para a saúde física quanto mental. Isso inclui as crianças, já que, segundo as pesquisas, os animais ensinam a desenvolver o senso de responsabilidade nos pequenos, assim como ajudam a estreitar os laços de amizade que estão sendo criados. Também auxiliam no desenvolvimento de empatia e, além de tudo, promovem a criação de um pensamento de preocupação com os animais e com a natureza em geral. Ainda de acordo com esses estudos, crianças dão um valor enorme à presença de pets em suas vidas, pois elas voltam sua atenção para eles em busca de apoio e conforto em situações que podem gerar ansiedade, como por exemplo, em consultas médicas ou início em uma nova escola.

waveking1/Creative Commons

Para que a convivência seja benéfica para os pets e os humanos, é essencial que os futuros tutores, sejam eles crianças ou pais, entendam as necessidades de cada tipo de animal, atentando sempre às características particulares como personalidade, espécie, comportamentos e saúde. Por exemplo, é fundamental dar atenção à nutrição do pet, dando condições para que ele tenha acesso a uma alimentação saudável, nutritiva e balanceada. Um fator importante é a noção de que alguns alimentos feitos para humanos podem ser tóxicos para os animais, portanto é crucial a cautela na hora da alimentação.

Por mais adorável que seja, ter um pet significa um compromisso de longa data e há quem esqueça que cuidar de um animal exige dedicação, paciência, ensinamentos, tempo para levá-lo para passear, visitas regulares ao Médico-Veterinário e, ainda, gera gastos. Eles não são brinquedos e o abandono de animais ainda é um grave problema no Brasil. Segundo a Organização Mundial da Saúde, no país há mais de 20 milhões de cães e mais de 10 milhões de gatos abandonados.

photogramma1/Creative Commons

A aquisição de um animal pode ser a porta para a compreensão de um problema ambiental muito maior: a super população de cães e gatos e o abandono. Não prive seu filho, sobrinho ou afilhado disso. Permita que ele escolha o peludo com você, indo a uma ONG ou mesmo a um bom criador.