Notícias

Dor de ouvido no verão é diferente da que costuma afetar as crianças no inverno

Compartilhe:     |  10 de dezembro de 2014

É tempo de altas temperaturas, viagens em família, praia e piscina até o sol se por… Enfim, o verão está aí. Engana-se quem pensa que infecções como a otite param de acometer as crianças nesse período, em que ficamos livres do frio. Na verdade, muitas reclamam, sim, de dor de ouvido no calor, mas ela é diferente da inflamação que costuma acontecer no inverno. Trata-se da otite externa, na maior parte das vezes, causada pela água. “O líquido fica na cavidade do canal do ouvido e abre caminho para infecções. Já a otite média, mais comum no frio, afeta o tímpano”, explica o otorrino pediatra Lauro Alcântara Lobo, do Hospital Infantil Pequeno Príncipe (PR). “Isso acontece com maior frequência nas crianças de 3 anos em diante, que, nessa época de calor, passam o dia inteiro dentro da piscina ou do mar”, alerta o especialista.

Sai pra lá, inflamação!
Ninguém quer que nenhuma doença atrapalhe a bagunça das férias, não é mesmo? Então, o melhor caminho é a prevenção. Para isso, você não precisa evitar as brincadeiras na água, que são de longe as mais divertidas nessa época do ano. Basta tomar alguns cuidados, como, após o banho, secar a parte externa do ouvido com uma toalha macia, nunca dentro.

Se as inflamações forem muito frequentes, converse com o médico. Assim, ele poderá investigar se há alguma causa específica e indicar os procedimentos adequados para o caso do seu filho. O uso de protetores de silicone – vendidos em lojas de esporte ou especializadas em natação – também é uma opção válida.

Como saber se seu filho está com otite?
É difícil errar. Na hora de vestir ou tirar a camiseta e passar a gola pela altura das orelhas, por exemplo, a criança vai reclamar. “Isso acontece porque a pele do conduto auditivo é muito sensível e tem ligação com a cartilagem. Então qualquer toque ou movimento intensifica a dor”, explica Alcântara Lobo. Algumas vezes, a orelha apresenta vermelhidão e um leve inchaço. Como em qualquer outro processo infeccioso, a otite também pode ocasionar febre. “Há casos em que a temperatura corporal aumenta, mas nada além de 37,5 ou 38 graus”, alerta o médico.

Primeiros cuidados
Se o seu filho está com esse tipo de inflamação, controle o impulso de usar hastes flexíveis para limpar, secar ou retirar qualquer possível secreção de dentro do ouvido. Para o especialista, esse tipo de objeto é o inimigo número 1 do canal auditivo, já que aumenta as chances de causar ferimentos e piorar a situação.

Quando a dor é muito intensa, um analgésico – previamente receitado pelo pediatra – ajuda a aliviar os sintomas. Uma compressa quente também ameniza o desconforto. “Pegue uma bolsa térmica aquecida, enrole em uma toalha e aproxime-a do ouvido”, sugere o especialista. O calor combate a dor e a inflamação.

Complicou…
Em alguns casos, quando não tratada adequadamente, a otite externa pode levar a um quadro mais sério. Se os primeiros cuidados não forem suficientes e o problema persistir, procure um otorrino para investigar a situação. Segundo Lauro Alcântara Lobo, 95% das ocorrências são resolvidas com uso de analgésico, uma limpeza delicada feita em consultório ou uso de medicação tópica, em gotas sobre o local da inflamação. “Somente quando o canal está muito comprometido, o que é raro de acontecer, o especialista indicará tratamento com antibiótico oral ou injetável.”



Fonte: Revista Crescer



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais