Notícias

Ecoansiedade: conheça um novo quadro clínico da psiquiatria

Compartilhe:     |  25 de novembro de 2020

Você já ouviu falar em ecoansiedade? Psiquiatras infantis têm diagnosticado esse tipo de ansiedade em alguns pacientes.

De acordo com especialistas britânicos, cerca da metade dos entrevistados afirma ter ansiedade ambiental.

Mas o que seria isso?

Os jovens na Inglaterra têm cada vez mais preocupação com o futuro do planeta, ainda que não consigam agir efetivamente para diminuí-la.

O estudo

Uma pesquisa feita com crianças e adolescentes do país revela que a crise climática está afetando a saúde mental desse grupo, como informa o The Guardian.

Esse diagnóstico tem sido chamado de ecoansiedade, a qual tem se apresentado de forma mais elevada entre os jovens do que no restante da população, de acordo com o Royal College of Psychiatrists.

medo de um colapso ambiental apresenta os seguintes sintomas de angústia ecológica: baixo-astral, desamparo, raiva, insônia, pânico e culpa.

Embora a pesquisa apresentem uma pequena amostragem, ela já revela sinais importantes que aparecem na clínica.

A presidente da Faculdade de Psiquiatria Infantil e Adolescente do Royal College of Psychiatrists, Bernadka Dubicka, disse que as gerações mais jovens estão crescendo com um cenário constante de medo e preocupação sobre o futuro do planeta. As mídias sociais, as fake news, a crise econômica e a Covid-19 afetam ainda mais a saúde mental dos jovens.

“Nos últimos anos, surgiu um novo conjunto de questões. Essas são coisas com as quais os jovens têm que enfrentar, coisas que afetam o futuro deles ”, disse a psiquiatra.

A líder do programa para jovens da organização Friends of the Earth, Jenny Thatcher, disse perceber estar havendo um aumento da consciência ambiental entre os jovens:

“Sem subestimar a saúde mental, a sensação de ser capaz de fazer algo e ser um agente ativo pode ajudar a manter a ansiedade sob controle. Afinal, é o futuro deles e parece uma resposta lógica e sensata ao que está acontecendo no mundo sentir ansiedade. Definitivamente, vimos um grande desejo de se organizar coletivamente e realmente lidar com a crise climática, o que dá a todos motivos de esperança. Portanto, embora os números neste relatório possam ser preocupantes, os jovens certamente também estão dando o exemplo. ”

Se a pressão climática sobre o bem-estar mental é uma preocupação crescente, boomers e millennials, avós, filhos e netos, podem aproveitar a questão que se impõe para, juntos, se engajarem pelo bem-estar coletivo, de suas famílias e de si próprios.



Fonte: Greenme - Gisella Meneguelli



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais