Notícias

Em João Pessoa, Saúde intensifica ações para prevenção de doenças no período chuvoso

Compartilhe:     |  20 de julho de 2014

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) irá intensificar as ações de prevenção e cuidado com a saúde nos bairros de João Pessoa, durante o período chuvoso. As equipes da gerência de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Gvaz) realizarão um trabalho reforçado nesta terça (22) e quarta-feira (23) nos bairros de Miramar, Bancários, Castelo Branco, Água Fria e José Américo.

Durante as ações serão realizadas visitas direcionadas ao controle da dengue, leptospirose e caramujos em residências e pontos estratégicos; palestras sobre doenças, pragas urbanas, animais peçonhentos e posse responsável de animais; exposição de mostruários e distribuição de material informativo para a população.

O secretário de Saúde, Adalberto Fulgêncio, ressaltou que as ações são importantes para orientar e conscientizar a população em relação às responsabilidades da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e da participação da comunidade na prevenção e cuidado da saúde.

“A Prefeitura já vem desenvolvendo um grande trabalho na prevenção e vigilância à saúde em João Pessoa. O objetivo agora é intensificar o cuidado e o controle de forma participativa, para que a população não venha a ser acometida com essas doenças”, afirmou.

Nilton Guedes, gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses da SMS, reforçou que as ações educativas têm sido a maior aliada para o controle das diferentes pragas. “Na saúde quanto à prevenção e controle de doenças, todos os dias são ‘dia D’. A principal ferramenta de combate é o esclarecimento à população da importância da retirada do alimento, água e abrigo, necessários para a sobrevivência dessas pragas”, alertou.

Dengue – Apesar de ser uma das doenças com maior incidência atualmente, os casos de dengue em João Pessoa diminuíram em 68% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período no ano passado.

De acordo com o boletim divulgado pela Gvaz, foram confirmados 339 casos de dengue na Capital entre 1º de janeiro e 8 de julho deste ano, enquanto que no ano passado foram registrados 1.076 casos da doença. Neste espaço de tempo, nenhum óbito foi registrado em decorrência da dengue. Já no ano passado, três pessoas morreram.

Segundo Nilton Guedes, responsável pelas ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, a redução dos casos foi alcançada devido às ações de educação em saúde direcionadas à população.

Leptospirose – Além da dengue, a leptospirose é outra doença na qual a Gvaz atua de forma preventiva, “tendo como agente causal a leptospira, presente na urina do roedor”, explicou Nilton.

De acordo com ele, o controle químico (com aplicação de raticida), aliado às ações integradas com a Defesa Civil e a Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), além de campanhas educativas junto às comunidades, têm sido fundamentais para a redução da infestação de roedores e, consequentemete, do número de casos notificados e óbitos pela doença.

Caramujos – Uma das ações de destaque da Gvaz é o controle do caramujo africano, realizado principalmente em pontos estratégicos da orla da Capital. “Desencadeamos ações educativas sobre os procedimentos a serem adotados pela população, principalmente no que se refere à maneira correta de realizar o controle”, disse Nilton.

Acidentes com animais peçonhentos – Nos cinco primeiros meses do ano, a Gvaz registrou 625 acidentes com animais peçonhentos. Desses, 587 (94%) foram provocados por escorpiões. Para o controle, as equipes realizam ações em prédios, terrenos e locais estratégicos onde são encontrados esses animais.



Fonte: Portal Correio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais