Notícias

Embrapa e Agência Espacial Brasileira somam expertises em prol da agricultura 4.0

Compartilhe:     |  22 de setembro de 2020

Instituições formalizam cooperação para fortalecer a inserção de tecnologias espaciais no agro brasileiro.

A Embrapa e a Agência Espacial Brasileira (AEB) assinaram, no dia 17 de setembro de 2020, acordo de confidencialidade que assegura a troca de informações e conhecimentos entre as duas instituições na área espacial. A cooperação vai beneficiar diretamente a agricultura digital no Brasil, também chamada de agricultura 4.0, a partir do uso de satélites, sensores e outras ferramentas de inteligência artificial que permitem mapear e monitorar áreas de produção agropecuária, com alta precisão em tempo real. A expectativa é que a união entre os setores agrícola e aeroespacial fortaleça ainda mais o agro brasileiro, conjugando tecnologia e sustentabilidade.

Segundo Carlos Augusto Moura, presidente da AEB, o uso das tecnologias espaciais vem impactando diretamente o desenvolvimento de muitos setores da economia brasileira nas últimas décadas, especialmente o de telecomunicações. “Já estava mais do que na hora de expandir esse conhecimento para o agronegócio brasileiro e nada melhor do que fazer isso a partir de uma instituição com a expertise da Embrapa, uma unanimidade em inteligência”, afirmou. Para Moura, a assinatura do documento abre um amplo campo para atuação conjunta e um leque enorme de possibilidades em prol da ciência e da tecnologia no País.

Um dos interesses da AEB é no acesso às informações geradas pelo Agropensa, o Sistema de Inteligência Estratégica da Embrapa, que desde 2012, produz e difunde conhecimentos e informações em apoio à formulação de estratégias de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) para a própria Empresa e instituições parceiras.

O presidente da Embrapa, Celso Moretti, ressalta a importância da cooperação entre duas instituições públicas que atuam em áreas científicas de ponta. “Essa união de conhecimentos é muito importante para o Brasil”, destacou. Segundo ele, trata-se de uma cooperação de alto nível tecnológico que vai trazer benefícios diretos ao agro brasileiro, a partir do uso de ferramentas de gestão de dados espaciais e monitoramento por satélite.

Assinatura consolida histórico produtivo de cooperação

Na verdade, como explica Moretti, a assinatura do termo de confidencialidade entre a Embrapa e a AEB formaliza ações em cooperação que já vêm sendo realizadas pelas duas instituições desde 2017. “A Embrapa e a AEB possuem um histórico produtivo de colaboração interinstitucional, impulsionado até este momento pelo protagonismo das unidades descentralizadas de pesquisa, entre as quais se destacam a Embrapa Solos (RJ), a Embrapa Instrumentação (SP) e, mais recentemente a Embrapa Territorial (SP) e a Embrapa Informática Agropecuária (SP)”, pontuou.

A primeira iniciativa em conjunto foi o Programa Nacional de Solos do Brasil, o PronaSolos, lançado em 2017. Capitaneado pela Embrapa Solos e AEB, reúne mais de vinte instituições com o objetivo de mapear 1,3 milhão de quilômetros quadrados em seus primeiros dez anos e 6,9 milhões de quilômetros quadrados em 30 anos.

Em 2018, a Embrapa colaborou na elaboração do Programa Espacial Brasileiro, sob a coordenação da AEB, por meio da Embrapa Territorial, aportando sua expertise relacionada a atividades espaciais compreendidas em grandes grupos de abrangência como observação da terra, coleta de dados, meteorologia, comunicações, missões científicas, posicionamento e navegação.

No mesmo ano, a Empresa firmou acordo com a Visiona Tecnologia Espacial, dos grupos Embraer e Telebras voltada à concepção de sistemas espaciais, que participa do desenvolvimento do Projeto VCUB, o primeiro satélite concebido pela indústria nacional. A parceria, cuja coordenação técnica é da Embrapa Informática Agropecuária, tem como objetivo desenvolver sistemas inteligentes que combinam tecnologia espacial com ferramentas informatizadas aplicadas à agricultura

Em 2020, um acordo assinado entre a Embrapa Instrumentação e a Orbital Engenharia deu mais um passo rumo ao compartilhamento de informações na área de agricultura de precisão. Essa cooperação vai beneficiar ações de PD&I voltadas a pós-colheita, meio ambiente, recursos naturais, nanotecnologia, manejo e conservação de água no solo, entre outras.

Foto: iStock

Participaram também da cerimônia virtual os diretores da Embrapa Guy de Capdeville (Pesquisa e Desenvolvimento), Adriana Martin (Inovação e Tecnologia) e Tiago Ferreira (Gestão Institucional), e Cristiano Trein, diretor de Política Espacial e Investimentos Estratégicos da Agência Espacial Brasileira. Estiveram presentes também os secretários de Pesquisa e Desenvolvimento, Bruno Brasil, e de Inovação e Negócios, Gustavo Xavier, além de chefes gerais de UCs e UDs, entre outras autoridades.



Fonte: Secretaria de Pesquisa e Desenvolvimento



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais