Notícias

Empaer orienta sobre cultivo de hortaliça agroecológica e plantio de mudas em escolas

Compartilhe:     |  28 de setembro de 2019

A instalação de hortas nas escolas da rede estadual e municipais de ensino estão mudando os hábitos alimentares de alunos e o plantio de mudas de árvores frutíferas criando consciência sobre importância de preservar o meio ambiente, também criando o hábito para o consumo de produtos agroecológicos. Em alguns casos, os alunos levam para casa aquilo que aprenderam com as práticas repassadas pelos professores e os extensionistas rurais da Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), que proporcionam a assistência técnica e orientam o seu cultivo.

Exemplos bem-sucedidos encontram-se em cidades do Litoral e do Sertão, onde alunos, principalmente os com idade mais avançada, fazem preparo das hortas. Algumas são hortas hidropônicas. Este sistema de produção de hortaliças nas escolas é antigo na Empaer, pois vem desde o tempo da antiga Ancar, que instituiu o Grupo 4-S, chegou até a Emater e agora tem continuidade com maior afinco pela Empaer.

No município de Serra Branca, no Cariri, na Escola Cidadã Integral Técnica Inácio Antonino, com 450 alunos nas séries de 1° e 2° anos do ensino médio, implantou o projeto no começo deste ano, funcionando através de disciplina diversificada com nome de “Eletiva”. O projeto trabalha com hortaliças, leguminosas e plantas frutíferas de pequeno porte e também plantas ornamentais. Na escola, este projeto recebe o nome de “Cheiro e Sabor – Plantando consciência e Promovendo a Sustentabilidade”.

A professora Euda Maria Oliveira, Licenciada em História, que no ano passado participou do Programa de Intercâmbio de Professores Estaduais, em Israel, é uma das que estimulam esta iniciativa na escola. Ela coordena uma turma composta por 30 alunos e conta com parceiros das disciplinas de Sociologia e Geografia. Os trabalhos iniciaram em fevereiro deste ano, contando com a parceria da Empaer.

“Este projeto visa despertar nos alunos o interesse em desenvolver práticas de sustentabilidade junto às suas famílias, implantando hortas sem uso dos agrotóxicos e assim fornecer alimentação saudável e uma melhor qualidade de vida a toda sociedade”, comentou.

Os extensionistas rurais Karina Gaudêncio, Antônio Alberto e Afonso Cartaxo dão assistência continuada ao projeto desta escola, a exemplo de outras ações que são desenvolvidas em comunidades rurais da região de Serra Branca, acompanhando as atividades dos técnicos locais.

Outras regiões – Já na Escola Estadual Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Belém do Brejo do Cruz, classificada como Escola Cidadã, é desenvolvido o Projeto Horta Escolar, com 165 alunos com turmas de ensino médio.

Os trabalhos têm o acompanhamento do extensionista Dagmar Luiz Dantas da Silva, da gerência local da Empaer, e do gerente regional Humberto Ferreira Cavalcante, de Catolé do Rocha. Ali, eles cultivam as culturas de acerola, coentro, pimentão, alface, cebolinha, rúcula, rabanete, cenoura e beterraba que consumiam nas suas refeições no restaurante da escola.

No município de Capim, no Litoral Norte, existem três escolas que estimulam o cultivo de hortaliças em suas dependências, com a efetiva participação de alunos. A produção é utilizada na merenda dos alunos, preparadas nas dependências das próprias escolas.

Alguns dos alunos, animados com os resultados obtidos nas hortas da escola, pediram apoio para também implantar um experimento nos quintais de suas residências e já estão fornecendo alimento saudável para o consumo de suas famílias. Dessa forma, multiplicando e tirando proveito de seus conhecimentos.

Neste município, os trabalhos têm a assistência técnica dos extensionistas Ozório Vieira da Silva Filho e Maria Betânia Lima Diniz Pinto com o acompanhamento da gerente regional Keila Leal.



Fonte: Secom-PB



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Considere aspectos individuais antes de sacramentar vínculo com animal de estimação

Leia Mais