Notícias

Especialistas finalizam discussões sobre REDD+ e decisões serão formalizadas na COP 21

Compartilhe:     |  15 de junho de 2015

As discussões metodológicas necessárias para o avanço na implementação de (REDD+) foram finalizadas em reunião da Convenção-Quadro das Nações Unidas para o Clima (UNFCCC), realizada em Bonn (Alemanha). Os especialistas do SBSTA (Órgão Subsidiário para Orientação Científica e Tecnológica, em tradução livre) definiram um conjunto de três decisões a serem encaminhadas às Partes e formalizadas na COP 21, que ocorre em Paris, em dezembro.

A principal delas define que as orientações existentes para as salvaguardas de REDD+ são suficientes. Essas salvaguardas garantem, para fins de investimentos financeiros, que aspectos como a questão indígena e a conservação da biodiversidade, entre outros, são respeitados nas iniciativas em desenvolvimento.

Dessa forma, as entidades doadoras de recursos terão a comprovação de que as atividades de REDD+ levam em consideração todas as questões acordadas a nível global. As informações sobre salvaguardas enviadas pelo Brasil, em maio deste ano, à UNFCCC, foram destacadas.

PARTICIPAÇÃO

Para construir o Sistema de Informações sobre Salvaguardas (SIS) de REDD+ em âmbito nacional, o MMA abriu espaço para a participação de pesquisadores e profissionais especialistas no assunto. Os interessados em participar do processo devem enviar e-mail para [email protected]

A mensagem deve conter nome completo, endereço eletrônico, contatos telefônicos, descrição da experiência com o tema salvaguardas de REDD+ e instituição da qual faz parte, quando aplicável. As dúvidas sobre o funcionamento dos trabalhos podem ser sanadas pelo mesmo e-mail ou pelos telefones (61) 2028-2451 e 2028-2452.

SAIBA MAIS

Apesar de considerado natural, o efeito estufa tem aumentado nas últimas décadas e gerado mudanças do clima. Isso decorre do aumento descontrolado das emissões de substâncias como o dióxido de carbono e o metano. A liberação desses gases na atmosfera ocorre por conta de diversas atividades humanas, entre elas o transporte, o desmatamento, a agricultura, a pecuária e a geração e o consumo de energia.

Para frear os prejuízos verificados, foi criada a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês), que conta atualmente com 193 países signatários. Todos os anos, representantes de todas essas nações se reúnem na Conferência das Partes (COP) para elaborar metas e propostas de mitigação e adaptação e para acompanhar as ações e acordos estabelecidos anteriormente.

Criado em 2003 e atualizado em 2010, o termo REDD+ representa um mecanismo de redução das emissões de gases de efeito estufa provenientes do desmatamento e da degradação florestal, incluindo o papel da conservação dos estoques de carbono florestal, do manejo sustentável de florestas e do aumento dos estoques de carbono.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) (61) 2028.1227

Links:
Visite o Observatório do REDD+


Fonte: Ascom - Lucas Tolentino - Editor: Sérgio Maggio



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais