Notícias

Espécie de caranguejo volta a manguezal de Guarapari 30 anos após desaparecimento do local

Compartilhe:     |  30 de março de 2019

Depois de 30 anos sem serem vistos no local, os caranguejos-uçá voltaram para o manguezal do “Parque Linear”, que fica entre os bairros Kubitschek e Concha D’Ostra, no município de Guarapari, região Metropolitana de Vitória.

A movimentação da espécie foi percebida pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema).

Caranguejo volta a aparecer em manguezal de Guarapari, no ES  — Foto: Divulgação/ Secom

Caranguejo volta a aparecer em manguezal de Guarapari, no ES — Foto: Divulgação/ Secom

“Percebemos, até por relatos dos próprios moradores, que há 30 anos não ocorria a andada do caranguejo naquele manguezal e, neste ano, presenciamos uma andada muito grande, principalmente de indivíduos juvenis”, comentou Georges Mitrogiannis, o agente de desenvolvimento ambiental e recursos hídricos do Iema, e também gestor da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Concha D’ostra.

Segundo Mitrogiannis, processo de repovoamento dessa espécie é lento, mas serve como um sinal de resposta da natureza para a recuperação da área.

Esse repovoamento, segundo o gestor, vem sendo feito por caranguejos-uçá juvenis e isso significa que esses indivíduos estão voltando ao local mesmo após o evento reprodutivo.

A explicação para o retorno dessa espécie de caranguejo para o manguezal se dá por uma série de fatores. De acordo com Mitrogiannis, o Iema e a Prefeitura de Guarapari fizeram ações de intervenção para evitar a degradação do manguezal.

Entre essas ações, o gestor destacou o aumento da fiscalização tanto das empresas poluidoras da região, quanto do lançamento de esgoto in natura no manguezal. A própria construção do Parque Linear também colaborou para frear a degradação.

Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Concha D’Ostra — Foto: Reprodução/ Google Earth

Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável Concha D’Ostra — Foto: Reprodução/ Google Earth

Andada

A andada do caranguejo, período de reprodução do animal, aconteceu no começo de fevereiro deste ano. Os técnicos do Iema ficaram surpreendidos com a rapidez com que o manguezal se regenerou devido às intervenções realizadas.

O último defeso da andada do caranguejo-uçá deste ano será entre 7 e 14 de abril. Nesse período fica proibida a captura, manutenção em cativeiro, transporte, beneficiamento, industrialização, armazenamento e comercialização do caranguejo.

Essa proibição visa preservar a reprodução da espécie, assim como a recomposição da fauna, evitando o desequilíbrio do ecossistema.



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Projeto de lei ‘Animal não é coisa’ é aprovado pelo Senado

Leia Mais