Notícias

Espécie de flor atrai predador natural do mosquito da dengue

Compartilhe:     |  16 de maio de 2015

A crotalária (Crotalaria juncea L.) é uma planta leguminosa comum no Nordeste brasileiro e que, segundo especialistas, possui substâncias que atraem a libélula, um dos predadores naturais do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Ela é uma planta que ajuda na prevenção à dengue, mas não é a solução ao problema da epidemia. Sua arma são as flores, que atraem um predador natural do mosquito, a libélula – e de modo natural, já que não exala substâncias químicas nocivas, presentes em inseticidas comuns.

O que acontece é que a libélula não costuma ter hábitos urbanos, existindo em maior quantidade em ambientes silvestres, e o mosquito Aedes aegypti não faz parte de suas refeições preferidas – ela possui, em sua dieta, vários outros insetos. A libélula só põe seus ovos em grandes depósitos de água parada e limpa, enquanto o mosquito depende apenas de uma gotinha de água para procriar – por isso, nem sempre as larvas de libélula encontrarão larvas do mosquito Aedes na hora da “refeição”.

É preciso lembrar que o cultivo da crotalária e até mesmo da citronela (que é amplamente utilizada para repelir mosquitos e pernilongos) continua sendo método alternativo de combate à dengue. A melhor precaução até que tenhamos uma vacina ainda é a conscientização das pessoas.

Depósitos e reservatórios com água devem estar sempre bem cobertos dentro e fora de casas; é de responsabilidade do governo a limpeza de terrenos baldios (e cidadãos não devem sujá-lo); o lixo deve ser colocado em tambores fechados; é importante a limpeza frequente das calhas do telhado.

A Crotalária juncea é uma leguminosa, tipicamente plantada após retirada da produção nas lavouras. Agindo como cobertura (adubação verde), ajuda a reduzir nematoides (pragas) presentes na área. Após a maturação, floresce em uma média de 100 dias, passando a atrair as libélulas (controle biológico).



Fonte: Equipe eCycle



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais