Notícias

Estratégia de adaptação evolutiva utilizada por alguns animais intriga cientistas

Compartilhe:     |  23 de janeiro de 2021

Mimetismo é um termo da biologia que se refere a um mecanismo utilizado por algumas espécies para se assemelharem fisicamente a outros animais. Essa estratégia é aplicada como mecanismo de defesa ou para atrair suas presas.

Um exemplo de mimetismo é o caso das falsas-corais, cobras que imitam o padrão de coloração da cobra-coral verdadeira, mas não são peçonhentas, apenas usam a semelhança para se protegerem dos predadores.

Qual a diferença entre mimetismo e camuflagem?

Apesar do mimetismo se assemelhar à camuflagem, as duas estratégias são diferentes. Enquanto o mimetismo é uma forma das espécies se parecem com outras espécies, a camuflagem se refere a um mecanismo em que os animais se assemelham ao ambiente em que estão inseridos.

Há dois tipos de camuflagem: a homocromia, que é quando o animal apresenta coloração semelhante ao ambiente, e a homotipia, que é quando a espécie apresenta estrutura corporal semelhante ao ambiente – é o caso do bicho-pau, por exemplo.

Tipos de mimetismo

Mimetismo batesiano

mimetismo batesiano se refere a duas ou mais espécies que são semelhantes em aparência, mas apenas uma delas é perigosa, sendo armada com ferrões, espinhos ou veneno.

Animais peçonhentos e venenosos tendem a desenvolver traços chamativos, como coloração e sons ameaçadores, que alertam outros animais sobre seu perigo. Esse fenômeno é chamado de aposematismo. No mimetismo batesiano, a espécie copia justamente esses traços chamativos da espécie venenosa – bem como faz a falsa-coral.

lagarta da mariposa-falcão é um exemplo desse tipo de mimetismo. Ao identificar qualquer sinal de perigo, a lagarta revela sua parte de baixo contendo cores parecidas com as de uma cobra. Além disso, ela infla sua cabeça para criar a ilusão de um crânio triangular, tudo isso para assustar os predadores.

Mimetismo mülleriano

mimetismo mülleriano se refere a duas espécies que possuem a mesma coloração e também o mesmo risco. Desse modo, outros animais conseguem reconhecer a coloração de um grupo depois das experiências ruins. Esse é o caso da borboleta-monarca (Danaus plexippus) e a borboleta-vice-rei (Limenitis archippus).

Mimetismo Peckhamiano

No Peckhamiano, também chamado de mimetismo agressivo, é o predador que se disfarça, parecendo inofensivo, para facilitar seu ataque. É o caso das aranhas do gênero Myrmarachne, por exemplo, que mudam suas características físicas, ficando semelhantes às formigas.

Automimetismo

O automimetismo, por fim, refere-se a animais que transformam alguma parte do corpo para ficarem semelhantes a outra espécie ou a outra parte do próprio corpo. Isso serve para aumentar a sobrevivência durante um ataque, os ajuda a parecer inofensivos diante das presas ou passar despercebido por predadores.

A coruja pigmeu do norte é um exemplo de automimetismo. Ela possui duas grandes manchas escuras na parte de trás da cabeça que lembram dois olhos grandes.



Fonte: Equipe Ecycle - Joana Coelho



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinária dá dicas para cuidar da saúde dos olhos de animais domésticos

Leia Mais