Notícias

Estudo aponta 3 etapas pelas quais novo coronavírus afeta o cérebro

Compartilhe:     |  13 de junho de 2020

Um grupo de cientistas norte-americanos publicou nesta semana no Journal of Alzheimer’s Disease um estudo abrangente sobre o efeito da Covid-19 no sistema nervoso. Os pesquisadores conseguiram definir as três fases pelas quais o Sars-CoV-2 causa danos cerebrais. O método de classificação ganhou o nome de NeuroCovid.

“Há muito que podemos fazer para promover a cura do cérebro em pacientes com Covid-19, mas primeiro precisamos entender a natureza e a gravidade de seus déficits neurológicos”, explicou Majid Fotuhi, líder do estudo, em comunicado. “No nível do paciente, é imprescindível obter uma ressonância magnética de base, antes de deixar o hospital, para que possamos ter um ponto de partida ao avaliá-lo e tratá-lo.”

As etapas criadas pelo grupo poder ser descritas da seguinte forma:

1. O dano do vírus se limita às células epiteliais do nariz e da boca, e os principais sintomas incluem perda transitória de olfato e paladar;

2. O novo coronavírus desencadeia uma reposta inflamatória exagerada conhecida como tempestade de citocinas, que começa nos pulmões e, pelos vasos sanguíneos, atinge todos os órgãos do corpo. Essa “enxurrada” leva à formação de coágulos sanguíneos que causam pequenos ou grandes derrames no cérebro;

3. A tempestade de citocinas é ainda maior e danifica a barreira hematoencefálica, que é a camada protetora da massa cinzenta. Como resultado, sangue, marcadores inflamatórios e partículas do vírus invadem o cérebro e os pacientes desenvolvem convulsões, confusão mental, coma e até encefalopatia.

Além de realizar uma ressonância magnética no hospital, ele enfatiza que os pacientes precisam ser monitorados durante alguns meses após a hospitalização por Covid-19. Isso porque a experiência com outros tipos de coronavírus sugere que, a longo prazo, as pessoas podem desenvolver condições neurológicas como depressão, insônia, Parkinson, perda de memória e envelhecimento acelerado no cérebro.

“Para aqueles que se recuperam da Covid-19, recomendo exercícios regulares, alimentação saudável para o coração, redução do estresse e melhora do sono“, disse Fotuhi. “Estas são formas críticas dos pacientes rejuvenescerem o cérebro e minimizarem desdobramentos negativos no futuro.”



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais