Notícias

Estudo: carros elétricos serão os mais baratos de produzir em 2027

Compartilhe:     |  12 de maio de 2021

O momento de popularização dos veículos elétricos está se aproximando. Segundo um estudo da Bloomberg New Energy Finance (BNEF), carros e utilitários elétricos custarão menos para construir do que veículos com motor de combustão até 2027, dependendo da categoria, e poderão representar 100% das vendas de veículos novos na União Europeia (UE) até 2035.

“Os sedãs e SUVs elétricos serão tão econômicos para fabricar quanto os veículos movidos a combustíveis fósseis a partir de 2026, e os carros pequenos a partir de 2027”, de acordo com a ONG Transporte e Meio Ambiente, que encomendou o estudo.

Assim, os veículos também serão mais baratos de comprar, em média, mesmo antes da chegada de eventuais subsídios governamentais, indica a projeção. E isso sem contar a economia de combustível a longo prazo. O preço antes do acréscimo dos impostos de um sedã elétrico será igualado em 2026 ao de um com motor a combustão em cerca de 19 mil euros (aproximadamente R$ 120 mil), em comparação com quase 33 mil euros (aproximadamente R$ 210 mil) para a versão elétrica em 2020.

A redução dos custos de fabricação é explicada pela queda no preço das baterias, bem como pelo desenvolvimento de linhas de produção dedicadas exclusivamente aos veículos elétricos, de acordo com este estudo.

No Brasil, as vendas de veículos elétricos bateram novo recorde em 2020, com aumento de 66,5% nos emplacamentos em relação a 2019. O crescimento confirmou a tendência de evolução desse mercado, na contramão do conjunto do setor automotivo no Brasil.

Segundo a Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores (Fenabrave), o total de emplacamentos de automóveis e comerciais leves caiu 26,6% em 2020, na comparação com 2019 (1.950.889 contra 2.658.692).

“Nesses tempos de pandemia, o consumidor brasileiro fez uma aposta clara nos veículos não poluentes e sustentáveis. Optou por proteger a sua saúde e a saúde da sociedade”, garante Adalberto Maluf, presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Conforme o estudo da Bloomberg New Energy Finance, considerando o contexto atual, os veículos elétricos representarão 50% das vendas de carros novos na Europa em 2030 e 85% em 2035. O estudo também afirma que os elétricos podem chegar a representar 100% das vendas de veículos novos ainda em 2035 desde que “os legisladores sejam mais rígidos em relação aos padrões de emissões de CO2 dos veículos e desenvolvam outras políticas para impulsionar o mercado, como a implantação de pontos de recarga mais dinâmicos”, destaca a ONG.



Fonte: Um Só Planeta



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Frio: veterinários indicam cuidados com pets

Leia Mais