Notícias

Estudo da Embrapa vê viabilidade na criação de abelhas sem ferrão

Compartilhe:     |  18 de outubro de 2020

Um estudo divulgado nesta última sexta-feira (16) pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) conclui que é viável economicamente para a agricultura familiar do Acre a implantação de meliponários para criação de abelhas indígenas, conhecidas como abelhas sem ferrão.

Um dos modelos calcula que a renda líquida positiva indica que a renda média familiar calculada chega a R$ 2.522,81 por coleta de mel. Para cada real investido tem-se R$1,28 de retorno.

“Segundo o modelo pressuposto no início deste estudo, pode-se concluir que a criação de uruçus no Acre, para produção de mel, é uma atividade viável no aspecto econômico, uma vez que todos os indicadores foram favoráveis, confirmando os resultados obtidos em outros estudos”, diz a Embrapa.

Todavia, segundo os pesquisadores que assinam o estudo, a consolidação dessa atividade, como fonte regular de renda na agricultura familiar, requer alterações na legislação em vigor, conhecida como Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA), que não reconhece as diferenças físico-químicas e microbiológicas existentes entre os méis das abelhas africanizadas e os das nativas.

Consequentemente, os meliponicultores têm uma série de dificuldades para obter os selos exigidos pelos serviços de inspeção, os quais atestam a qualidade da produção, inviabilizando, portanto, a comercialização do mel in natura em estabelecimentos sob a fiscalização da vigilância sanitária.



Fonte: AC 24 horas - Edmilson Ferreira



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais