Notícias

Estudo dos ecossistemas se diferencia do movimento ambientalista

Compartilhe:     |  9 de outubro de 2020

Ecologia é o estudo científico das interações que determinam a distribuição e abundância dos organismos, bem como a transformação e fluxo de energia e matéria. A palavra deriva do grego oikos, que significa casa, e logos, estudo. Ela foi empregada pela primeira vez na obra “Generelle Morphologie der Organismen”, desenvolvida pelo biológico alemão Ernst Haeckel em 1866.

Vale ressaltar que a Ecologia é uma ciência. Por isso, seu conceito possui significado diferente do conceito de Ambientalismo, que é um movimento social, político e ético preocupado com a proteção do meio ambiente e com a utilização sábia de seus recursos.

O conceito de Ecologia

A palavra Ecologia foi utilizada pela primeira vez na obra “Generelle Morphologie der Organismen”, desenvolvida pelo biológico alemão Ernst Haeckel em 1866. Nela, Haeckel definiu esse novo ramo da Biologia como “o estudo científico das interações entre organismos e seu ambiente”.

Em 1972, o ecólogo americano Charles Joseph Krebs incrementou a definição de Ecologia elaborada anteriormente pelo biólogo alemão. Para ele, a palavra era entendida como “o estudo científico das interações que determinam a distribuição e abundância dos organismos”. Apesar de ser mais sucinta, sua definição ainda não abordava fenômenos e processos ocorrendo em vários níveis de organização biológica.

Por isso, a nova descrição de Ecologia, elaborada por Gene Likens em 1992, incorpora explicitamente a Ecologia Ecossistêmica. De acordo com ele, a palavra pode ser definida como “o estudo científico das interações que determinam a distribuição e abundância dos organismos, bem como a transformação e fluxo de energia e matéria”.

Subdivisões da Ecologia

De maneira geral, a Ecologia pode ser dividida em três ramos diferentes. O primeiro deles, chamado de Autoecologia, estuda as espécies a partir de suas relações com o meio ambiente. O segundo ramo, conhecido como Sinecologia ou Ecologia Comunitária, é voltado para o estudo das comunidades de seres vivos. Ele foca na distribuição das populações, suas relações ecológicas, demografia, deslocamento e quantidades. O último ramo da Ecologia, chamado de Demoecologia ou Ecologia das Populações, faz o estudo de cada população separadamente.

No entanto, existem outros segmentos dentro desses ramos gerais. A Ecologia do Indivíduo, a Ecologia de Populações, a Ecologia de Comunidades, a Ecologia do Ecossistema e a Ecologia Humana podem ser citadas como exemplos.

Conceitos importantes em Ecologia

Ecologia abrange diversos conceitos fundamentais, como:

Habitat

Habitat é o ambiente físico em que vivem determinadas espécies. As condições desse ambiente dependem de fatores abióticos, que afetam diretamente os seres vivos presentes. Uma planta pode ser o habitat de um inseto, por exemplo.

Nicho ecológico

Nicho ecológico diz respeito à descrição verbal de todas as condições necessárias para a existência da espécie, incluindo tolerâncias fisiológicas, limitações morfológicas, hábitos alimentares e interações com outros membros da comunidade.

Fatores bióticos e abióticos

Fatores bióticos e abióticos representam as relações existentes que permitem o equilíbrio do ecossistema. Os fatores bióticos consistem nas comunidades vivas de um ecossistema, como plantas, animais e micro-organismos. Já os fatores abióticos são os elementos físicos, químicos ou geológicos do ambiente, responsáveis por determinar a estrutura e funcionamento dessas comunidades. Exemplos de fatores abióticos:

Biodiversidade

Biodiversidade é uma expressão que provém da união dos termos “diversidade” e “biológica”, e significa variedade de vida ou a variedade de todas as formas de vida existentes na Terra, sejam elas macro ou microscópicas.

Todos os diferentes tipos de vida encontrados em uma área – animais, plantas, fungos e até micro-organismos como as bactérias, fazem parte da biodiversidade. Cada uma dessas espécies e organismos trabalham juntos em ecossistemas, como uma teia intrincada, para manter o equilíbrio e sustentar a vida. A biodiversidade sustenta tudo o que precisamos para sobreviver na natureza: comida, água limpa, remédios e abrigo.

Relações ecológicas

Relações ecológicas são as interações que ocorrem entre os seres vivos dentro dos ecossistemas. Elas podem ser entre indivíduos da mesma espécie (intraespecífica) ou entre espécies diferentes (interespecíficas). As relações ecológicas também podem ser benéficas ou prejudiciais para as partes envolvidas.

Cadeia alimentar

Cadeia alimentar, também chamada de cadeia trófica, pode ser definida como uma sequência linear da transferência de matéria e energia em um ecossistema, na qual é possível observar organismos servindo de alimento para outros. Essa transferência sempre se inicia por um produtor e finaliza-se em um decompositor, sendo unidirecional.

Ciclos biogeoquímicos

Ciclos biogeoquímicos, também chamados de ciclos da matéria, podem ser definidos como processos naturais nos quais ocorre a ciclagem dos elementos, ou seja, sua passagem do meio ambiente para os organismos vivos e destes de volta para o meio. Esses elementos fazem com que várias reações fundamentais para sobrevivência e manutenção dos seres vivos sejam realizadas.

Posteriormente, esses elementos retornam ao meio ambiente pelo processo de decomposição ou por outros mecanismos, tais como respiração e transpiração. Alguns exemplos de ciclos biogeoquímicos são ciclo do carbono, do nitrogênio, do oxigênio e da água.

Biosfera

Biosfera é o conjunto de todos os ecossistemas da Terra. A palavra deriva do grego bíos, vida e sfaira, esfera, que significa esfera da vida. Incluem-se na biosfera todos os organismos vivos que habitam o planeta, embora o conceito seja geralmente alargado para incluir também os seus habitats.

A biosfera é composta por uma rede de interligações entre todos os organismos e o meio físico. É nela que os fatores físicos e químicos formam o ambiente propício para a vida.

Ecótono

Ecótono é a região de transição entre duas comunidades ou entre dois ecossistemas. Nessas áreas, é comum encontrar grande número de espécies e, por consequência, de nichos ecológicos.

Biótopo

Biótopo é a área física na qual os biótipos adaptados a ela e as condições ambientais se apresentam praticamente uniformes.

Níveis de organização estudados em Ecologia

O estudo da Ecologia baseia-se em diferentes níveis de organização, como:

Um ponto importante da Ecologia e que envolve todos os níveis de organização é a compreensão das relações existentes entre os seres vivos. Como ressaltado, as relações ecológicas demonstram como as diferentes espécies interagem e como os indivíduos de uma população comportam-se.

Importância de estudar Ecologia

Ecologia é uma ciência complexa e ampla que nos permite entender o funcionamento do planeta. Ao compreender como os organismos vivem e se relacionam, é possível criar medidas de preservação de espécies e prever os impactos negativos que uma determinada ação humana pode gerar. Por isso, a Ecologia faz-se necessária para a criação de planos de preservação de organismos vivos e modelos de previsão sobre o futuro do planeta e para a compreensão de como uma atitude pode afetar determinados organismos, por exemplo.



Fonte: Equipe Ecycle - Ecologia: conceitos fundamentais e Introdução à Ecologia



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Gatos: dicas de cientistas para cuidar bem do seu pet

Leia Mais