Notícias

Estudo revela que indústria da carne é responsável pela contaminação de bacias hidrográficas

Compartilhe:     |  25 de outubro de 2019

O relatório realizado pela The Wilderness Society revela que o desmatamento de terras para pecuária na Austrália é responsável por “direcionar o escoamento químico adicional para as águas dos recifes”

A produção de carne bovina é responsável pela destruição de 94% das bacias hidrográficas que abastecem a Grande Barreiras de Corais na Austrália, de acordo com um relatório da ONG de proteção ambiental The Wilderness Society (A Sociedade do Deserto).

A Grande Barreira de Corais australiana é uma imensa faixa de corais composta por cerca de 2.900 recifes, 600 ilhas continentais e 300 atóis de coral, situada entre as praias do nordeste da Austrália e Papua-Nova Guiné, que possui 2.200 quilômetros de comprimento, com largura variando de 30 km a 740 km.

A nova análise de dados espaciais considera a produção de carne bovina responsável por 73% de toda a limpeza de terras (desmatamento) em Queensland, na Austrália.

“O desmatamento é um dos principais impulsionadores da perda de biodiversidade, uma fonte significativa de emissões de gases de efeito estufa e contribuiu para a má qualidade da água na Grande Barreira de Corais”, diz o relatório. A criação de animais ou pecuária intensificada é responsável por “direcionar o escoamento químico adicional para as águas dos recifes, além das cargas químicas existentes”.

Além disso, o relatório observou que atribuir 73% da área desmatada à produção de carne bovina é provavelmente uma “subestimação significativa”.

“Nos últimos cinco anos, mais de 1,6 milhão de hectares de florestas e bosques foram limpos (desmatados para pecuária) somente em Queensland”, observa o relatório. A Grande Barreira de Corais não é o único recife em risco por causa da criação de animais em larga escala. No Centro de Conservação do Aquário da Flórida, os pesquisadores cultivam corais em um laboratório para restaurar os recifes que desaparecem rapidamente.

Agindo

“A evidência científica é clara”, conclui o relatório. “Iniciativas que interrompam e revertam os efeitos das mudanças climáticas em nível global e capazes de melhorar efetivamente a qualidade da água em escala regional são as mais urgentes para melhorar as perspectivas de longo prazo da região”.

O governo de Queensland introduziu leis destinadas a minimizar a taxa de desmatamento de terras do estado em maio passado. A indústria de carne bovina manifestou interesse em avançar em direção a operações mais sustentáveis, fundando o Australian Beef Sustainability Framework (Projeto Australiano de Sustentabilidade da Carne Bovina, na tradução livre) em 2017. A organização mantida pela indústria acompanha o desempenho do produtor em várias áreas. No entanto, estudos mostram que uma alimentação baseada em vegetais é a opção mais sustentável para ajudar o planeta.

O relatório da Wilderness Society acrescenta que “o segundo maior responsável pela limpeza de terras é a criação de ovelha”, com 28% da área desmatada.

Uma solução baseada em vegetais

À medida que os problemas ambientais e éticos da carne são cada vez mais divulgados, a adoção de uma alimentação baseada em vegetais é a melhor solução para causar um impacto positivo no planeta.

Existe um interesse crescente na redução de carne na Austrália. Um estudo mostrou que mais de 2,5 milhões de australianos estão desistindo ou reduzindo a carne em sua alimentação.



Fonte: Anda - Eliane Arakaki



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinária dá dicas para cuidar da saúde dos olhos de animais domésticos

Leia Mais