Notícias

Evolução rápida pode ajudar espécies a se adaptarem às mudanças climáticas

Compartilhe:     |  24 de fevereiro de 2021

A perda de biodiversidade em face das mudanças climáticas é uma preocupação mundial crescente. Outro fator importante que impulsiona a perda de biodiversidade é o estabelecimento de espécies invasoras, que muitas vezes deslocam as espécies nativas. Um novo estudo mostra que as espécies podem se adaptar rapidamente a um invasor e que essa mudança evolutiva pode afetar a forma como lidam com um clima estressante.

O co-autor do estudo, Seth Rudman, disse que os resultados demonstram que as interações com concorrentes, incluindo espécies invasoras, podem moldar a evolução de uma espécie em resposta às mudanças climáticas. Os cientistas têm cada vez mais reconhecido que a evolução não é necessariamente lenta e muitas vezes ocorre com rapidez suficiente para ser observada em tempo real.

Essas rápidas mudanças evolutivas podem ter consequências importantes para coisas como a persistência das espécies e as respostas às mudanças climáticas. Os pesquisadores optaram por examinar este tópico em moscas-das-frutas , que se reproduzem rapidamente, permitindo que mudanças sejam observadas ao longo de várias gerações em questão de meses.

O experimento testou primeiro se as espécies naturalizadas podem evoluir rapidamente em resposta à exposição às espécies invasoras durante o verão, depois testou como a adaptação no verão afeta a capacidade da espécie naturalizada de lidar e se adaptar às condições mais frias do outono.

Ao longo de apenas alguns meses, as espécies naturalizadas adaptaram-se à presença das espécies invasoras. Essa rápida evolução afetou então como as moscas evoluíram quando o tempo frio atingiu. As moscas que haviam sido previamente expostas às espécies invasoras evoluíram no outono para serem maiores, põem menos ovos e se desenvolvem mais rapidamente do que as moscas que nunca haviam sido expostas.

O estudo marca o início de pesquisas que podem ter implicações para outras espécies ameaçadas que são mais difíceis de estudar. “Na era das mudanças ambientais globais em que as espécies são cada vez mais confrontadas com novos climas e novos competidores, essas dinâmicas estão se tornando essenciais para entender e prever”, disse Grainger.



Fonte: IstoÉ Dinheiro



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Veterinário dá dicas importantes de como cuidar de cães e gatos com a continuação do isolamento social

Leia Mais