Notícias

Exercícios só no fim de semana fazem bem ou mal? Cardiologista avalia

Compartilhe:     |  13 de maio de 2021

Cardiologista e médico do esporte, Nabil Ghorayeb avalia que os resultados mais eficazes para a saúde são consequência de atividades físicas regulares de três a quatro vezes por semana, mas afirma que qualquer coisa é melhor do que nada na luta contra o sedentarismo

Exercícios de fim de semana são uma realidade de muitos: não tendo tempo durante a semana, partimos para grandes esforços físicos nos fins de semana. Mas será que isso oferece benefícios à saúde? Ou pode ser até prejudicial? Várias pesquisas trouxeram algumas luzes para esses fatos. E a recomendação de procurar fazer exercícios físicos moderados e suportáveis ao menos no fim de semana deve ser, sim, estimulada para todos, e de preferência fazer as atividades a que se está acostumado. Uma simples caminhada ou um leve trote são eficientes, não ultrapassando o limite do seu cansaço.

Atletas de fim de semana não recebem os mesmos benefícios para a saúde dos esportistas regulares, mas ao menos dão um passo para longe do sedentarismo — Foto: Istock Getty Images

Atletas de fim de semana não recebem os mesmos benefícios para a saúde dos esportistas regulares, mas ao menos dão um passo para longe do sedentarismo — Foto: Istock Getty Images

Muitas pessoas tendem a compensar a falta de exercícios na semana com exageros de intensidade e de volume dos exercícios no fim de semana. Mas não se deve malhar intensamente, por ser só nos fins de semana; nessas condições, afinal, podem ocorrer problemas clínicos cardiológicos e ortopédicos. A sugestão é aumentar o tempo da caminhada ou do trote, por exemplo, sem aumentar a sua intensidade ou a dificuldade.

A ciência demonstrou que os benefícios do metabolismo de uma atividade física regular aparecem depois de 15 a 20 minutos de exercícios moderados e regulares e se mantêm por algumas horas, não ultrapassando 48 horas, e a perda de peso vai ocorrer com treinos de 60 a 70 minutos regulares. Por isso, recomenda-se treinar ao menos três a quatro dias da semana, praticando exercícios ou esportes.

Se isso não for possível, então que se faça aquele mínimo de atividades no fim de semana. Sem dúvida, é melhor do que nada. Se houver dificuldades para exercitar-se ou treinar durante a semana, que se use alternativas conhecidas, como subir escadas (pelo menos três andares) ou caminhar 30 minutos por dia, onde for possível.

Devemos combater o sedentarismo, nosso grande inimigo, com atitudes efetivas no dia a dia. Os fatores de risco para um envelhecimento danoso são conhecidos: obesidade, diabetes, colesterol elevado, hipertensão arterial, tabagismo e, por fim, estresse. A atividade física moderada e regular é um braço efetivo dos tratamentos modernos de quase todas as doenças degenerativas e, conjuntamente com as correções necessárias das doenças citadas, oferece o caminho atual para envelhecer com qualidade.

*Por Nabil Ghorayeb

Médico cardiologista do HCor, doutor em Cardiologia (FMUSP), fundador do CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese, Prêmio Jabuti (Literatura, Ciência e Saúde)



Fonte: Eu Atleta - Por Nabil Ghorayeb*



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Frio: veterinários indicam cuidados com pets

Leia Mais