Notícias

Experiências espirituais e religiosas ativam área de recompensa do cérebro, diz estudo

Compartilhe:     |  29 de novembro de 2016

As experiências espirituais e religiosas ativam os circuitos de recompensa do cérebro, da mesma forma que acontece com o amor, sexo, jogos de azar, drogas e música. Os resultados são da Faculdade de Medicina da Universidade de Utah e foram publicados nesta terça-feira (29) na revista “Neuroscience social”.

“Estamos apenas começando a entender como o cérebro atua durante as experiências que os religiosos creem ser espirituais, divinas ou transcendentais”, disse o autor do artigo e neurorradiologista Jeff Anderson. “Nos últimos anos, as tecnologias de imagem cerebral evoluíram de forma que estão nos deixando abordar questões que estão circulando há milênios”.

Especificamente, os pesquisadores selecionaram um grupo religioso para representar os sentimentos espirituais: os Mórmons. Eles foram colocados em um ambiente onde os participantes pudessem “sentir o espírito”.

Durante a pesquisa, 19 membros jovens e adultos da igreja – sendo sete mulheres e 12 homens – participaram de quatro tarefas como uma tentativa de ter sentimentos espirituais. O teste incluiu seis minutos de descanso, oito minutos de citações de líderes religiosos mundiais, oito minutos de leitura de passagens do “Livro de Mórmon”, 12 minutos de estímulos audiovisuais (vídeo produzido pela igreja com cenas conhecidas e bíblicas, entre outros conteúdos religiosos) e mais oito minutos de citações.

Durante a parte das citações, foi mostrada aos participantes uma série de falas, sempre com a pergunta: “Você está sentindo o espírito?”. As respostas variaram de “não estou sentindo” até “estou sentindo fortemente”.

 O neurorradiologista Jeff Anderson, autor da pesquisa (Foto: University of Utah Health Sciences)

O neurorradiologista Jeff Anderson, autor da pesquisa (Foto: University of Utah Health Sciences)

Depois disso, os estudiosos recolheram avaliações detalhadas dos participantes sobre os seus próprios sentimentos. Alguns descreveram sensações de paz e calor. Outros estavam chorando. “Quando os participantes do estudo foram instruídos a pensar sobre um ‘salvador’, sobre estar com suas famílias eternamente, sobre recompensas celestes, os seus cérebros e corpos responderam fisicamente”, disse Michael Ferguson, autor que participou como estudante de bioengenharia na Universidade de Utah.

Por meio de exames de ressonância magnética funcional do cérebro, os pesquisadores descobriram que os sentimentos espirituais ativaram o núcleo accumbens, região responsável pelo processamento dos circuitos de recompensa. Como os participantes estavam experimentando picos de sentimentos, os seus corações bateram mais rápido e a respiração ficou mais intensa.

Além dos circuitos de recompensa, os pesquisadores notaram que os sentimentos espirituais também estão associados ao córtex pré-frontal medial, área complexa que é ativada por tarefas de avaliação, julgamento de raciocínio moral. Essas sensações religiosas também ativaram regiões do cérebro ligadas à concentração.

“A experiência religiosa talvez seja a parte mais influente de como as pessoas tomam decisões que afetam a todos nós, para o bem e para o mal. Entender como isso acontece no cérebro para contribuir para essas decisões é realmente importante”, completou Anderson. O pesquisador disse que ainda não é possível determinar se pessoas de outras religiões iriam responder da mesma forma.



Fonte: G1



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais