Notícias

Família ganha estação ecológica feita com plantas filtrantes

Compartilhe:     |  25 de dezembro de 2018

O bairro Caputera, entre Cotia, Embu das Artes e Itapecerica da Serra, vai encerrar
o ano com um avanço socioambiental: um esgoto a menos jogado diretamente nos rios e sua população mais consciente sobre o seu papel no tratamento do ciclo hídrico de suas residências.

Sobretudo, com a opção “Jardim Filtrante”: uma Solução Baseada na Natureza (SbN), para
melhor gestão da água, que utiliza elementos como pedra brita e plantas especiais, com raízes de alto poder de filtragem, para sugar as impurezas dos efluentes, como constatou Néia Nunes Lopes, 37, moradora contemplada com a instalação.

“Estou muito feliz com o resultado, pois antes não conseguia sequer perfurar o solo,
devido ao excesso de água subterrânea”, revela. A escolha da casa da Néia ocorreu pela ausência de uma fossa séptica. Segundo ela, que se mudou há dois anos para o bairro, o despejo de esgoto diretamente nos córregos é uma triste realidade local, pois não
há serviços de coleta e tratamento de esgoto.

Localizado nas divisas dos três municípios, o Caputera é rico em nascentes e corpos
d’água, que desembocam no Rio Embu Mirim, que contribui com um terço da água da Represa Guarapiranga. De olho neste cenário, a Sociedade Ecológica Amigos de Embu (SEAE), implantou o projeto gratuito “Plantando Jardim Filtrante e Água Boa”, que acontece no bairro este semestre.

A ideia básica consiste em munir as comunidades com conhecimento sobre a importância
das águas e como fazer uma estação de saneamento ecológico unifamiliar, com custos menores do que o das fossas tradicionais e resultado superior, pois os efluentes saem livre de poluentes.

Josinara Rodrigues, 38, moradora de Santo André, que acompanhou a instalação e ajudou
no mutirão, conta que ficou muito tocada com o que viu e vivenciou naquela casa e comunidade: “a força do trabalho duro e altruísta, associado ao conhecimento, quebrando as correntes da ignorância (falta de conhecimento) me deram certeza de que é possível
mudar a realidade ao nosso redor. A SEAE viu um problema e atuou na solução. Isso refletiu na autoestima das pessoas, que se sentiram valorizadas”.

Etapas do projeto

Em fase inicial do projeto “Plantando Jardim Filtrante e Água Boa”, palestras foram
realizadas ao longo dos meses de outubro e novembro, para cerca de 350 alunos do 6º ao 9º ano da Escola Municipal do Caputera. Os pais também foram convidados e assistiram a palestras. As duas Unidades Básicas de Saúde da região também foram locais para apresentação e conversas sobre o tema.

Já no mês de dezembro durante dois sábados, cerca de 50 membros da comunidade e interessados de outras cidades compareceram para o mutirão e curso gratuito Vivência em Saneamento Ecológico, que abordou teoria e prática para o passo a passo para uma instalação de tratamento ecológico de esgoto residencial.

O próximo passo é estender a cortesia para mais duas residências e capacitar a comunidade para que possam fazer suas próprias instalações unifamiliares, além de atuar na área para ampliar sua fonte de renda.

Sobre o projeto

“Plantando Jardim Filtrante e Água Boa” nasceu com a missão de difundir técnicas de saneamento ecológico unifamiliar  gratuitamente, por meio de etapas de conscientização da população; instalação de tratamento de esgoto por jardins filtrantes; realização de cursos práticos para a capacitação e formação de 60 instaladores de saneamento ecológico; e publicação de cartilha com instruções para que qualquer pessoa interessada possa fazer a instalação em casa. É idealizado e conduzido pela Sociedade Ecológica Amigos de Embu – SEAE, com recursos do programa Casa Cidades, do Fundo Socioambiental Casa.



Fonte: Ciclo Vivo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Colecionadores de fãs, os siameses são inteligentes, comunicativos e brincalhões. Conheça curiosidades da raça

Leia Mais