Notícias

Fevereiro 2020: os eventos astronômicos imperdíveis deste mês

Compartilhe:     |  2 de fevereiro de 2020

Gustavo Rojas*

Betelgeuse é uma estrela gigante vermelha, distante cerca de 600 anos-luz da Terra, e que até pouco tempo atrás rivalizava em brilho com sua companheira na constelação de Orion, a azulada Rigel. Entretanto, nos últimos meses algo de anormal tem acontecido.

Betelgeuse está hoje três vezes menos brilhante que o normal. O apagão causou alvoroço entre os astrônomos. Alguns acreditam que seja um prenúncio do final espetacular dessa estrela: uma explosão supernova, algo esperado para só daqui a 100 mil anos.

SAIBA MAIS
O que falta para termos mais satélites 100% brasileiros no espaço?
Por que o novo telescópio pode revolucionar o que sabemos sobre o Sol
É pouco provável que esse evento espetacular esteja tão adiantado, mas por via das dúvidas, vale a pena aproveitar as noites de fevereiro para acompanhar o brilho de Betelgeuse. Pode ser a última chance! Para isso, procure a constelação de Órion no alto do céu já no comecinho da noite. Uma dica: as famosas Três Marias ficam bem no centro do quadrilátero formado por Betelgeuse, Rigel, Bellatrix e Saiph.

CALENDÁRIO CELESTE

3 de fevereiro
A Lua crescente atravessa a constelação de Touro e se posiciona entre dois famosos aglomerados de estrelas: Plêiades (a oeste) e Híades (a leste), onde brilha a alaranjada Aldebaran.

10 de fevereiro
Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, atinge sua posição mais favorável para observação neste mês. Mesmo assim, ainda é um desafio encontrar seu pálido disco no horizonte oeste, em meio às luzes do crepúsculo.

18 de fevereiro
Este ano a Lua fará uma série de passagens próximas a Marte, e em algumas ocasiões passará exatamente em frente ao Planeta Vermelho. É o que acontece nessa noite, mas o alinhamento será perfeito apenas em algumas regiões da América do Norte. O resto do planeta verá somente uma bela conjunção.

20 de fevereiro
Duas noites após a passagem próxima a Marte, nosso satélite posiciona-se entre os dois maiores planetas do Sistema Solar: Júpiter (acima) e Saturno (abaixo). O melhor horário para ver esse encontro é um pouco antes do amanhecer.

*Gustavo Rojas é físico da Universidade Federal de São Carlos. Esta coluna foi certificada com o selo de qualidade da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB).



Fonte: Revista Galileu



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais