Notícias

Filhote de tamanduá-mirim órfão vira atração para estudantes na Bahia

Compartilhe:     |  28 de agosto de 2014

Uma tamanduá-mirim fêmea foi encontrada sozinha numa área de Mata Atlântica em Ilhéus, no sul da Bahia. Não se tem informações sobre a mãe do animal, que tem aproximadamente 20 dias de idade e foi levado dia 18 deste mês para tratamento no Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres), em Vitória da Conquista, no sudoeste do Estado.

No Cetas, o animal foi batizado de “Nina” e tem dormido numa casinha com cobertores. Nos últimos dias virou atração no local, com a visita programada de estudantes do ensino básico.

Segundo a veterinária Rosana Ladeia, do Cetas (órgão municipal), a tamanduá está em bom estado de saúde, precisando apenas que seja alimentado de forma adequada. Está pesando 270 gramas e deverá ficar no Cetas até 1 ano de idade, para depois ser solto numa área de mata.

Enquanto está no Cetas, a tamanduá-mirim se alimenta de leite sem lactose misturado com gema de ovo de galinha. Quando estiver com três a cinco meses será colocada num ambiente em que verá poucos humanos e com cupinzeiros e formigueiros, pois é onde ele mais se alimenta na mata.

O tamanduá-mirim (tamandua tetradactyla), de acordo com a bióloga do Cetas, Gisele Filadelfo, pode ser encontrado em quase toda a América Latina, nos mais variados biomas, e não está em risco de extinção. A fêmea da espécie, quando adulto, chega a pesar 4,6 quilos e a medir 95 centímetros (da calda a cabeça). Já o macho, adulto, pesa até 5,7 quilos e mede 96 centímetros.



Fonte: Uol - Mário Bittencourt



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais