Denúncia

Filhotes de gatos são torturados e mortos em testes de laboratório

Compartilhe:     |  31 de março de 2019

De acordo com o White Coat Waste Project, os gatinhos têm menos de três meses de idade e são forçados a comer carne estragada. A maioria deles está perfeitamente saudável após o experimento, mas mesmo assim são covardemente assassinados, no laboratório do USDA em Beltsvill, por não serem mais considerados “úteis”. Cem filhotes são mortos a cada ano na instalação.

O Departamento de Agricultura dos EUA tentou se defender dizendo que o número de gatinhos supostamente mortos nos testes foi superestimado. Não importa o número – infectar um ou cem animais indefesos e depois matá-los e desmano.

O laboratório do USDA está localizado em Maryland, que no mês passado aprovou a “Lei da Liberdade do Beagle”, que exige que todos os laboratórios trabalhem com organizações de resgate de animais dispostas a encontrar lares para animais quando não forem mais necessários. O projeto também protege os gatos.

A Lei ainda não entrou em vigor e, por isso, ativistas criaram uma petição pedindo que o laboratório pare de assassinar os animais e os coloquem para adoção.

Os Beagles

A maior empresa de produtos químicos do mundo pôs fim aos testes de fungicida em beagles após a divulgação de imagens secretas pela Humane Society dos Estados Unidos (HSUS).

Na semana passada, uma filmagem feita de dentro do laboratório revelou métodos cruéis usados em dezenas de cães – eles eram alimentados com altas doses de fungicidas em nome da Dow AgroSciences para testar a eficácia de um novo produto.

Finalmente, na sexta-feira (22), a Dow AgroSciences (Corteva AgriScience) declarou no Twitter: “Estamos trabalhando para refinar, reduzir e substituir testes em animais. Hoje temos o prazer de anunciar que nossos esforços resultaram em uma renúncia e podemos interromper o estudo. Faremos todos os esforços para realocar os cães.”

A investigação secreta denunciou que cerca de 36 beagles estavam sendo submetidos a terríveis testes, durante um ano inteiro, apesar do fato de que a lei dos EUA exige apenas um teste oral de 90 dias para a aprovação de novos pesticidas.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Projeto de lei ‘Animal não é coisa’ é aprovado pelo Senado

Leia Mais