Notícias

Filhotes de tartarugas se confundem com luzes e morrem atropelados

Compartilhe:     |  16 de janeiro de 2019

Pelo menos 34 filhotes de tartarugas marinhas morreram atropelados no litoral sul de Maceió, nesta segunda-feira (14). De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUNC, na sigla em inglês), os filhotes são da espécie Eretmochelys imbricata , mais conhecidos como tartarugas-de-pente e estão criticamente ameaçados de extinção.

As tartarugas recém-nascidas teriam ficado desorientadas pela iluminação artificial da Avenida Assis Chateaubriand, no bairro Pontal da Barra, e, em vez de seguirem em direção ao mar, acabaram indo direto para a pista, onde foram atropeladas pelos carros que passavam pelo local.

Segundo postagem feita no Facebook do Instituto Biota, que faz o monitoramento das tartarugas marinhas em Alagoas , um morador da região conseguiu resgatar alguns filhotes e informou a organização da ocorrência. Biólogos presentes no local ainda identificaram marcas no asfalto e animais esmagados.

Normalmente, logo após o nascimento, as tartarugas são orientadas pela luminosidade da espuma das ondas e seguem em direção ao mar. Segundo os especialistas, o excesso de luz artificial presente na região teria abalado a ordem natural dos acontecimentos, além da falta de barreira entre a areia e o asfalto, que também teria sido um facilitador para que o acidente acontecesse.

Excesso de iluminação na orla foi principal culpado pelo acidente envolvendo pelo menos 34 filhotes de tartarugas em praia
Reprodução/ Facebook Instituto Biota

Excesso de iluminação na orla foi principal culpado pelo acidente envolvendo pelo menos 34 filhotes de tartarugas em praia

Há algum tempo o Instituto Biota vêm alertando as autoridades em relação ao excesso de luz artificial na orla. No início do mês, a organização identificou dois tubarões com cerca de 1,5 metro nadando na praia da Jatiúca. A hipótese levantada pelos biólogos é de que a dupla foi atrás de cardumes de peixes que foram atraídos até as praias pela iluminação artificial .

O instituto chegou a recomendar à prefeitura de Maceió que a iluminação seja realinhada para que outras tragédias ambientais sejam evitadas, principalmente considerando que o período reprodutivo das tartarugas marinhas ocorre no verão, entre dezembro e março. Até agora, a organização já contabilizou a presença de 250 ninhos de tartarugas nas praias de Alagoas.



Fonte: Último Segundo - iG



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Medicamentos e remédios caseiros: o que fazer e o que não fazer?

Leia Mais