Notícias

Flores utilizadas em decorações e que iriam para o lixo alegram idosos em asilos

Compartilhe:     |  29 de junho de 2015

A florista Helena Lunardelli passava por um momento de crise existencial e queria fazer algo diferente de sua vida, principalmente, que tivesse algum impacto social. Certa feita, ao ouvir reclamações e desabafos de faxineiros após uma festa, sobre como era triste ver arranjos tão bonitos irem para o lixo, ela viu ali a oportunidade que tanto procurava.

Nascia há cinco anos o projeto Flor Gentil, em São Paulo, que reutiliza as flores utilizadas na decoração de festas, doando-as posteriormente para asilos e outras instituições. Atualmente, a iniciativa visita 26 casas quinzenalmente e recebe doações de 348 distribuidores distintos, entre floristas, pessoas físicas, buffets e outras instituições. A ONG conta com 2.110 voluntários inscritos.

flores-interna2-ecod.jpg
Em Porto Alegre, a Flor Faz Bem atua há apenas sete meses e por isso ainda precisa de mais voluntários frequentes
Foto: Poa Vini Dalla Rosa/ Divulgação

“O que eu mais gosto é entregar. A gente acaba se apegando aos senhores, ouvindo as histórias. É muito legal essa conexão que a flor nos proporciona”, destaca Helena.

Já em Porto Alegre, a Flor Faz Bem, sob o comando da Jaqueline Pegoraro, atua há apenas sete meses e por isso ainda precisa de mais voluntários frequentes. Muitas vezes apenas Jaqueline e a sócia, Claudia Bopp, ficam a cargo de buscar as flores, fazer os arranjos e entregar nos asilos.

Inscreva-se pra ajudar e saber mais dessas lindas iniciativas!

São Paulo: Flor Gentil http://www.florgentil.com.br/

Porto Alegre: Flor Faz Bem contato@eutenhovisto.com

(Com informações do portal Razões para Acreditar)



Fonte: EcoD



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Lei que proíbe piercings e tatuagens em animais é sancionada no Distrito Federal

Leia Mais