Trilhas da Paraíba

Gado Bravo

Compartilhe:     |  13 de janeiro de 2018

O nome do município teve origem na referência de uma cacimba de água doce, onde o gado ia beber água, nos dias quentes de verão. O espaço era pequeno. E as manadas disputavam o espaço a chifradas. Quando alguém se referia ao local, chamava de Gado Bravo.

A toponímia pegou. Antes,este município, que já foi distrito de Umbuzeiro e Aroeiras, se chamou, primeiramente, de Curtume, porque os habitantes locais se dedicavam à curtição de couros. Depois, passou a ser chamado de Cruzeiro. Quando alcançou a emancipação política, em 1997, a última toponímia, Gado Bravo,  já predominava há alguns anos.

Situado a 400m de altura acima do nível do mar, em pleno chapadão da Borborema, Gado Bravo tem, atualmente, segundo o IBGE, 8.363 habitantes.É um local aconchegante, de dias frios entre maio e setembro. A população predominante é de mulheres, principalmente a estudantil.

O caminho para Gado Bravo não é confuso: pega-se a estrada que liga Campina Grande a Caruaru e entra-se no ramal que conduz a Aroeira e Umbuzeiro. Gado Bravo fica no lado direito da rodovia estadual que conduz a Umbuzeiro. Na entrada, uma grande praça com a estátua de São José e o Menino Jesus, tem ao lado o Cemitério e a Matriz.

A vegetação de Gado Bravo consiste numa transição da Floresta Latifoliada Perenifólia Costeira (Mata Atlântica) para uma vegetação acatingada, encontra-se também uma mata seca subcaducifólia. O município limita-se com os municípios de Aroeiras (12,5 km), Umbuzeiro (20 km), Santa Cecília (26 km), Serra de Santana (21 km) e Queimadas (23 km).

Alternativas econômicas

Velhos teares, fusas e rocas, e iniciativa arrojada, ajudam jovens a buscarem uma vida digna e sustentável através de produção de redes e tapetes no município de Gado Bravo. Além de redes e leite, Gado Bravo produz uma agricultura de grãos de subsistência. Situado numa área onde as chuvas não são corriqueiras, vez por outra o município sofre com a seca.

A população de Gado Bravo é maior do que a de muitos municípios brejeiros ou litorâneos. O povo utiliza bastante o transporte mais adotado na região, a Toyota Bandeirante, considerado o carro adequado para transitar na zona rural.

Os municípios polo são Umbuzeiro, Aroeiras ou Campina Grande. Este último é onde todos vão parar, quando a compra é mais volumosa. Aqui, os produtores procuram e encontram gado rústico e leiteiro de boa procedência.

Uma das atividades alternativas do comércio é a produção de queijos e de doce de leite. Produção pequena, porém aceitável. Uma comunidade local já se destacou no artesanato de panelas e objetos de barro. Brito lamentou a morte do último desses artesãos, ocorrida recentemente.

 



Fonte: A União - Famup



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais