Espécies em Extinção

Gato-pescador

Compartilhe:     |  15 de dezembro de 2019

O gato-pescador da Ásia é uma das espécies da lista de animais ameaçados de extinção

Os gatos pescadores são felinos que contradizem a crença de que os gatos não gostam de água. Eles são encontrados em vários ambientes aquáticos, tais como matos de brejos, mangues e as áreas densamente cobertas de vegetação ao longo dos rios, na Ásia, da Índia até a Indochina e Java. Nadadores poderosos eles conseguem se impulsionar com suas patas que possuem uma pele entre os dedos. Eles são vistos andando ou nadando em águas rasas, caçando uma variedade de presas aquáticas, tais como peixes, rãs, sapos, lesmas ou crustáceos. Eles também caçam pequenas aves e alguns mamíferos e até mesmo pequenos bezerros ou bodes.

Os gatos pescadores são maiores do que os gatos domésticos, são robustos, tem cabeça larga e rabo curto. O pêlo é grosso e áspero, de cor cinzenta tingida de marrom. A pelagem tem, ainda, uma série de manchas marrons alinhadas em filas ao longo de seu corpo. Há, também, um conjunto de 6 a 8 linhas mais escuras que vão da sua testa até o pescoço. O pêlo da barriga é esbranquiçado e com manchas.

A cabeça é relativamente grande e larga com focinho um pouco alongado. Os olhos são esverdeados e as orelhas são curtas, redondas e pretas na parte lateral com manchas brancas no meio.

As pernas são curtas e as dianteiras têm cotovelos proeminentes e as bainhas de suas patas são incompletas o que evita que as garras sejam totalmente retráteis. O tamanho do rabo é metade do comprimento da cabeça e do corpo, é grosso, com a ponta negra e com uma série de anéis incompletos pretos.

Essa raça tem uma característica marcante de ter duas camadas de pelos para se adaptarem mais facilmente dentro d’água. A primeira camada é muito densa, curta e colada ao corpo. Dessa forma ela impede que o gato fique molhado, agindo como uma vestimenta térmica, mantendo-o sempre seco e quente nas pescarias mais frias. A segunda camada tem pêlos mais longos, brilhantes e lustrosos.

 O cruzamento dessa raça ocorre ao longo do ano todo, acreditando-se que eles usam um chamado de acasalamento, embora nada tenha sido comprovado. Os ninhos são construídos em matagais densos, juncos e em buracos de troncos ou rochas, sempre em lugares seguros e escondidos. Em geral o número de filhotes é de 2 por gravidez mas pode ser de 1 a 4 e a gestação é de 63 a 70 dias.Os filhotes nascem com cerca de 170 gramas, começam a comer carne com 53 dias mas só são desmamados com a idade que varia de 4 a 6 meses. O tamanho total desse gato é alcançado com 8 a 9 meses mas só se tornam completamente independentes e sexualmente maduros entre 12 e 18 meses de idade. Em cativeiro eles vivem até 12 anos, atingem o comprimento de 90cm a 1 metro e 12 cm, pesam de 6 a 12 quilos com altura de 38 a 40 cm.

A destruição dos banhados e das terras úmidas é uma ameaça para essa espécie já que no seu ambiente da Ásia, 50% dessas terras estão sob ameaça de desaparecimento. Em algumas dessas áreas, esses gatos fazem parte da cadeia alimentar humana principalmente porque destroem outros animais domésticos. Suas peles são encontradas nos mercados asiáticos apesar de que em número menor do que outros gatos selvagens, pois o seu status de animal selvagem é pouco conhecido.Existem normas de proteção para se conservar essa raça com exceção do Butão, Malásia e Vietnam.



Fonte: Pelos e Patas



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

PETA quer banir o uso do termo “animal de estimação” por ser depreciativo para os animais

Leia Mais