Notícias

Google usa seu processador Sycamore para realizar cálculo de 10 mil anos em 3 minutos

Compartilhe:     |  30 de setembro de 2019

Um artigo científico em que um pesquisador do Google diz que a empresa alcançou a supremacia quântica, um importante passo inicial na computação quântica, surgiu em um site da NASA esta semana e logo foi removido, de acordo com o Financial Times.

A Google, assim como a IBM, a Intel, a Microsoft e outras gigantes ou startups da tecnologia, estão empenhadas em criar computadores quânticos, um tipo de computador novo que tem base em uma arquitetura completamente nova daquela existente nos computadores clássicos. Apesar de não ser um anúncio oficial as expectativas em relação às novas tecnologias de computação quântica da Google com relação a este marco são grandes: um computador quântico executando um cálculo que um computador clássico não poderia realizar.

Basicamente os computadores clássicos abstraem problemas para um sistema de comutadores de apenas duas posições chamados bits (uns e zeros) que interagem pelas regras da lógica. Computadores quânticos se baseiam em bits quânticos, conhecidos como qubits, que também são comutadores de apenas duas posições, mas interagem pelas das mesmas regras das partículas subatômicas, chamadas de mecânica quântica.

Essa nova arquitetura quântica poderia permitir, em suposição, que computadores quânticos resolvessem certos problemas que computadores clássicos não podem resolver em tempo razoável — poderiam ser criptografia ou de geração de modelos de moléculas. Mas a grande dificuldade em manter o comportamento dos qubits por um período útil, também conhecido como tempo de coerência, é um obstáculo que impede que os pesquisadores demonstrem qualquer tipo real de aceleração quântica.

De acordo com o Financial Times a publicação do Google afirma que o seu novo processador quântico. “[Realiza um cálculo] em três minutos e 20 segundos que levaria o computador clássico mais avançado de hoje, conhecido como Summit, aproximadamente dez mil anos.” Essa seria uma amostra de supremacia quântica .

Não há detalhes sobre o exato cálculo realizado pelo computador, sequer é possível verificar de maneira independente o relatório do Financial Times. Sabemos há um bom tempo tempo que a Google está testando um computador quântico de 72 qubit denominado Bristlecone, com o qual alcançariam a desejada supremacia quântica. O Financial Times afirma que a experiência de supremacia teria sido realizada usando um processador quântico de 53 qubit chamado Sycamore.

Este seria um enorme marco quando comparamos estes dispositivos quânticos com os computadores clássicos. Mas ainda dos computadores quânticos realmente terem utilidade quântica real. Essa empreitada exige aumentar o tempo de coerência e criar sistemas de correção de erros, para que vários qubits sejam combinados em um único com o objetivo de garantir que o computador quântico estaria dando resultados confiáveis.

Existe a possibilidade de que os cientistas sequer aceitem o anúncio do Google algo válido. O mais intrigante: se um supercomputador leva 10 mil anos para conferir a resposta como saberíamos que o computador quântico deu mesmo a resposta correta?
Ficaremos de olho quando o artigo dor oficialmente publicado.



Fonte: Hypescience - Gizmodo



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Considere aspectos individuais antes de sacramentar vínculo com animal de estimação

Leia Mais