Notícias

Governo Trump aprova permissão para importar troféu de caça de rinoceronte negro

Compartilhe:     |  10 de setembro de 2019

O animal pertence a uma espécie criticamente ameaçada de extinção, o caçador Chris Peyerk pagou 400 mil dólares para matar o rinoceronte na Namíbia

O pedido de permissão solicitada por um caçador de troféus de Michigan (EUA) para trazer o crânio, a pele e os chifres de um rinoceronte negro criticamente ameaçado de extinção morto por ele na África para os Estados Unidos, será aprovada pelo governo Trump, de acordo com um relatório feito pela Associated Press.

Chris Peyerk, de Shelby Township, localizada no estado no Michigan, solicitou a permissão de importação em abril. “O requerente solicita uma permissão para importar o troféu esportivo de caça de um rinoceronte negro (Diceros bicornis) do sexo masculino da Namíbia com o objetivo de melhorar a propagação ou sobrevivência da espécie”, diz o texto do documentos do departamento de Serviços de Pesca e Vida Selvagem dos EUA.

Peyerk teria pago 400 mil dólares a um programa de combate à caça para que pudesse obter permissão para caçar “espécies criticamente ameaçadas” dentro de um parque nacional da Namíbia, informou a AP (Associated Press).

A União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) diz que restam cerca de apenas 5.500 rinocerontes negros na natureza.

As notícias da aprovação pelo governo Trump foram recebidas com uma reação de indignação e revolta por grupos de defesa dos direitos animais em todo o mundo, que acusam os EUA de incentivar a matança de animais em extinção com essa medida.

“Pedimos ao governo federal americano que encerre esse esquema de pagamento para matar, que permite que rinocerontes criticamente ameaçados sejam mortos por americanos ricos, enquanto desfere um golpe devastador à conservação dos rinocerontes”, disse Kitty Block, presidente e CEO da Humane Society em um comunicado. “Embora não possamos atrasar o relógio para salvar esse animal, o governo pode impedir que os EUA contribuam ainda mais para o fim dessa espécie, recusando futuras licenças de importação de troféus de rinocerontes negros. Rinocerontes negros devem estar fora dos limites para caçadores de troféus”.

“O governo Trump deu outro golpe na proteção da vida selvagem ao conceder sua terceira permissão para importar um troféu de rinoceronte negro, uma espécie criticamente ameaçada”, disse Sara Amundson, presidente do Fundo Legislativo da Humane Society, em um comunicado.

O rinoceronte negro, que pode pesar entre 1.760 e 3.080 libras, é uma espécie em risco de extinção. No entanto, a tendência atual da população é de crescimento, de acordo com a National Geographic.

Os rinocerontes negros são conhecidos por seus dois chifres, que podem crescer até 5 pés de comprimento, o NatGeo diz que esses chifres são a razão pela qual suas vidas estão em risco.

“Muitos animais foram mortos pelos seus chifres, que são usados na medicina tradicional na China, Taiwan, Hong Kong e Cingapura. O chifre também é valorizado no norte da África e no Oriente Médio para ser usado na confecção de adagas ornamentais”, de acordo com o National Geographic. “O rinoceronte negro já percorreu a maior parte da África subsaariana, mas hoje está à beira da extinção devido à caça, impulsionada pela demanda comercial por seu chifre”.

O departamento de Serviços de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, que é a agência que recebe as licenças de caça de troféus, defendem esse tipo de “caça de conservação”, dizendo que realmente beneficia as espécies a longo prazo.

Sob o governo presidente Barack Obama, o departamento de Serviços de Pesca e Vida Selvagem emitiu a primeira permissão de importação de troféu de rinoceronte preto criticamente ameaçada em 33 anos.

A ABC News, fonte original da matéria, não recebeu imediatamente uma resposta do governo Trump ou do Departamento do Interior para comentar o assunto.



Fonte: Anda



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Quetzal: uma ave bela e misteriosa

Leia Mais