Notícias

Gregas ensinam a preparar tipo de pão para lanche considerado perfeito

Compartilhe:     |  25 de setembro de 2014

Montanhas, florestas, praias. A natureza exuberante da ilha de Creta produziu alimentos que estão entre os mais saudáveis do mundo. Maior ilha grega, Creta fica bem no meio do mar mediterrâneo. Uma ponte entre Europa, África e Ásia, desde a antiguidade.

Heráclion, a capital, sempre foi um ponto estratégico, disputado pelos povos do mediterrâneo. E as principais cidades da ilha foram dominadas por Veneza durante séculos.

No mercado de Heráclion nós vamos conhecer uma comida que eles consideram a comida perfeita: é o dakos. Para isso o Globo Repórter foi a um bar que tem 90 anos de vida, está na 3ª geração da família, é frequentado só por homens, mas a equipe encarou.

George, o dono da taverna, é quem vai preparar o dako. Eles usam um pão de cevada. O pão tem três dias. E ele diz que assim o pão fica mais forte.

George conta que é a comida de todo dia em Creta. Geralmente, se come no fim da tarde, com alguma bebida, um chá, uma cerveja. É uma comida que eles chamam de o pequeno médico porque faz bem para a saúde, é fácil de digerir, então é uma comidinha leve que você pode comer a qualquer hora.

É bem simples: leva o pão de cevada, tomate, queijo feta, azeite extra virgem. Quando eles falam um pouco de azeite de oliva, é muito. Para completar, algumas gotinhas de limão. Ele diz que o segredo é o mesmo de todas as comidas da ilha. O segredo de tudo é o óleo de oliva, o resto é muito simples, muito básico.

Ingredientes para fazer o pão do dakos são produzidos em aldeia

As fibras da cevada ajudam a baixar o colesterol, tem ainda a proteína do queijo e os antioxidantes do azeite e do tomate. Simplesmente delicioso, simplesmente saudável.

Mas o pão do dako não é tão simples de fazer. Mulheres do vilarejo de Agios Vasileios mostram como é. A massa é feita em uma grande batedeira. Vai água, azeite de oliva. Usam farinha de cevada misturada com farinha de trigo. Fermento. Todos produtos da própria aldeia onde moram. Athina é uma das cozinheiras da cooperativa de mulheres. “Hoje as pessoas estão procurando produtos mais tradicionais, inclusive por uma questão de saúde, diz ela. Existe uma preocupação maior com o que comemos”, explica Athina Triandafilaki, padeira.

Com habilidade, as mulheres dão forma aos pãezinhos, que vão ao forno. Depois de assados uma vez, os pães são cortados ao meio e voltam ao forno.

E então na última etapa da produção, o pão fica em um forno a uma temperatura bem baixinha, por pelo menos cinco horas, e se transforma em uma espécie de torrada, bem dura. É isso que garante a durabilidade do dako.

Este pão é produzido em Creta há milênios. Pode durar mais de um ano sem estragar.



Fonte: Globo Repórter



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais