Medicina Verde

Guaco – poderosa erva medicinal, santo remédio não só para tosse. Como usar

Compartilhe:     |  26 de maio de 2019

Mikania glomerata

O guaco, também conhecido em outras regiões como guaco-cheiroso, cipó-almecega, cipó-caatinga ou erva-de-cobra, possui o nome científico Mikania glomerata e é uma espécie nativa do Brasil, cultivada em todo território nacional, todavia de maior predileção pelo bioma Mata Atlântica. Com excelente distribuição em climas tropicais e subtropicais da América, África e Ásia. Ocorre naturalmente em bordas de rios, matas primárias e várzeas suscetíveis à inundação. Outra espécie muito similar ao guaco (Mikania glomerata) é a Mikania laevigata, que muitas vezes é comercializada indiscriminadamente como guaco devido à sua grande semelhança morfológica, medicinal e química, no entanto trata-se de espécies completamente distintas! Vamos conhecer mais sobre essa poderosa erva medicinal?

1. Conhecendo o Guaco

A espécie Mikania glomerata pertence à família botânica Asteraceae a mesma do girassol, da flor-de-pincel, margaridas e dente-de-leão. Trata-se de uma família riquíssima em exemplares com grande biodiversidade!

Para a sua identificação, é possível notar que:

2. Problemas no consumo do Guaco

Como é uma espécie de comprovada atividade medicinal, foi incluída na Farmacopéia brasileira em 1929, ou seja, uma das primeiras plantas medicinais a serem catalogadas no compêndio, devido seus atributos farmacológicos e benefícios de vulto no uso.

Porém, como algumas espécies do gênero são muito similares, ocorre muita adulteração da matéria-prima no mercado fitoterápico.

O mais adequado e seguro é o próprio interessado coletar a planta e utilizar suas folhas, visto que é a parte com maior concentração de substâncias medicinais, para suas infusões e chás, ou buscar em um laboratório de confiança os fitofármacos a base de guaco.

Sugere-se atenção na compra desta espécie devido estas ocorrências!

3. Propriedades medicinais e farmacológicas do Guaco

São comprovadas cientificamente as diversas atividades biológicas da espécie Mikania glomerata como:

Todavia, o principal uso do Guaco é para casos de asma e bronquite, pois ela tem uma excelente capacidade broncodilatadora, devido à presença de substâncias denominadas cumarinas que atuam diretamente nos canais de cálcio da musculatura lisa dos pulmões, acarretando o relaxamento quase imediato e, em consequência, aliviando os sintomas!

4. Como usar o Guaco?

O uso se dá através de infusões bebíveis, na concentração de 1 colher de chá para 100 mL de água de folhas secas trituradas da espécie (atenção ao local que forem comprar!!!)

E poderá ser utilizado em diversos casos sintomatológicos, conforme a descrição supracitada das suas características medicinais!

Aproveitem bastante o poder medicinal desta planta fabulosa!!!

5. Contraindicações de uso

Apesar de ser uma planta completamente segura para uso, devido aos diversos estudos científicos, é contraindicado que mulheres grávidas e crianças com até 1 ano de idade utilizem o guaco.

Isto porque a substância varfarina, que é uma pequena modificação na estrutura química da cumarina, é um anticoagulante poderoso que atua como inibidor da vitamina K no organismo humano, por isto, não se recomenda o uso nos casos citados!

Além disso, outras substâncias do Guaco desencadeiam interação medicamentosa com alguns grupos de antibióticos como tetraciclinas, penicilina, cloranfenicol, vancomicina e gentamicina. Portanto, caso esteja ingerindo esta classe de medicamento, não faça uso do chá de guaco!

6. Dicas de cultivo em casa

A espécie em questão é muito adaptada em solo e clima brasileiro, portanto é possível cultivá-la na sua própria residência!



Fonte: Greenme - Rubens Carvalho



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Primeiros socorros: o que fazer quando o seu pet precisa de ajuda

Leia Mais