O lixo em questão

Guia de preparo dos resíduos para descarte

Compartilhe:     |  1 de dezembro de 2018

Aprenda como separar os resíduos para o descarte e faça da reciclagem um hábito em sua casa

Você já parou para pensar na imensa quantidade dos mais variados itens que são produzidos em todo o mundo por dia? De um simples hambúrguer a um avião, tudo tem um custo ambiental, que costuma ser maior do que o que a Terra pode suportar (veja mais nessa matéria sobre o Dia da Sobrecarga da Terra). Além da utilização de recursos naturais, os produtos geram resíduos, seja por causa das embalagens, dos processos produtivos ou do descarte incorreto.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística (IBGE), o Brasil produz, diariamente, 160 mil toneladas de resíduos urbanos. Isso significa que um brasileiro produz, por dia, 1,4 quilos de resíduos, sendo 60% orgânico e 40% reciclável ou rejeito. Para saber a diferença entre resíduo e rejeito, confira a matéria “Você sabe a diferença entre resíduo e rejeito?”.

Apesar da reciclagem não ser a solução para o problema dos resíduos (a questão passa por mudanças na lógica de produção, por adoção de políticas públicas distintas das atuais, entre outros aspectos) ela é primordial. O processo contribui na economia de água e energia, reduz os custos de matérias-primas e diminui o volume de resíduos gerados a partir da exploração de recursos naturais (veja mas em “Você sabe o que é reciclagem? E como ela surgiu?”).

Para que a reciclagem possa ser feita, no entanto, é preciso separar e destinar os resíduos corretamente. A prática é um pouco complicada no início, mas com o tempo, separar seus materiais se tornará muito natural. Confira como separar o lixo para reciclagem:

Divida seu lixo

Lixo seco

Na lixeira de lixo seco vai todo o material de difícil decomposição, com papéis, metais, plásticos e vidros.

Lixo úmido

Todo o material orgânico deve ser depositado na lixeira de lixo úmido. Entre eles estão os restos de alimentos, filtros de café e sachês de chá, materiais engordurados e sujos, madeiras, podas de plantas e dejetos animais. No entanto, fique de olho para o que pode ser reaproveitado. Restos de alimentos, guardanapos gordurosos e podas de plantas não são recicláveis, mas podem ir parar na composteira, assim como o pó do café – confira a matéria “Guia da compostagem: recicle todo resíduo orgânico da sua casa de maneira sustentável”. Outra possibilidade de uso para o resíduo orgânico é a biodigestão, um processo de fabricação de biogás e biofertilizante a partir de um processo anaeróbio – confira a matéria “Biodigestão de resíduos é opção para grandes quantidades de lixo orgânico” e entenda.

Cuidados

Cometer o ato de, conscientemente, separar os seus resíduos já é meio caminho andado. Agora existem certas práticas e cuidados que são encorajados e desencorajados na hora de destinar os seus resíduos para reciclagem.

O que fazer

O que não fazer

Caso a coleta seletiva da prefeitura não trabalhe na sua região, procure um posto de entrega voluntária ou uma cooperativa de catadores. Para saber onde ficam os postos de entregas mais próximos de você, utilize nosso buscador.

Confira o nosso vídeo para saber mais sobre como fazer a coleta seletiva.

Resíduos de destinação especial

Existem alguns resíduos que devem ser descartados com cuidado. Confira:

Confira como fazer sabão a partir de óleo de cozinha usado.

Observações

É importante notar que apesar de a reciclagem ser um processo importante na preservação dos recursos naturais, ela também conta com o gastos de energia, água e carbono. Por isso, antes de descartar algo, mesmo que for para reciclagem, considere dar novos usos a ele. Veja a matéria “Upcycling: Conheça a alternativa sustentável para objetos no fim de sua vida”.



Fonte: Equipe Ecycle



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

“Comida de humanos” pode até matar os pets! Veja os riscos dessa prática

Leia Mais