Notícias

Hospital Laureano mantém ambiente acolhedor e vai ampliar serviços

Compartilhe:     |  10 de agosto de 2014

Por Alexandre Nunes

Duplicar a capacidade atual de atendimento do Hospital Napoleão Laureano, que atualmente é de 384 mil procedimentos anuais. Essa é a meta a ser alcançada pela campanha humanitária que será lançada este mês, durante as comemorações do Centenário de Nascimento de Napoleão Laureano, que acontece no dia 22 de agosto.

Segundo informou o diretor geral do Hospital Napoleão Laureano, Péricles Serafim Filho, o objetivo da campanha é arrecadar fundos financeiros para a construção de um prédio de 10 andares, a fim de instalar a estrutura praticamente de um novo hospital. A ideia da diretoria da Fundação Napoleão Laureano e do hospital, com essa campanha, é implantar uma nova estrutura hospitalar, paralela à estrutura já existente, exclusivamente para atendimento particular.

“O novo prédio seria um espaço com acomodações de hotelaria diferenciadas, para atender a pessoas de maior poder aquisitivo, que possam pagar não apenas o tratamento delas, mas indiretamente o tratamento de saúde das pessoas mais humildes, mais carentes. A ideia é ganhar de quem tem, para gastar com quem não tem. Na verdade, nossa intenção é usar o lucro proveniente da nova estrutura e investir na antiga, para ampliar o atendimento aos mais humildes. É meio uma operação em que você ganha de quem tem para gastar com quem não tem. Trata-se uma forma de fazer justiça social”, justificou.

Péricles Serafim Filho acrescentou que, com o novo projeto, a logística dos apartamentos que hoje funcionam no hospital seria transferida para o novo prédio. As instalações atuais dos apartamentos seriam transformadas integralmente em enfermarias para atender mais pacientes humildes. Ele acrescentou que o projeto foi inspirado em experiências bem sucedidas, citando como exemplo, os hospitais Albert Einstein e Sírio Libanês, onde o que é lucrado nessas casas hospitalares é investido em ações de saúde na periferia de São Paulo. “Precisamos contar com o indispensável apoio da sociedade paraibana para levarmos esse projeto em frente e conquistarmos uma estrutura desse porte”, complementou.

Processo de expansão da estrutura física garante mais leitos hospitalares

Até o final do ano, o Hospital Napoleão Laureano, que atualmente dispõe de 150 leitos, passará a contar com 165 leitos, sem contar os 30 novos postos de quimioterapia ambulatorial.

O diretor geral do Hospital Laureano, Péricles Serafim Filho, explicou que o crescimento da estrutura física do complexo hospitalar só é possível por conta da extraordinária dimensão do terreno que mede 28.860 m², hoje com uma área construída que totaliza 14.000 m². O terreno foi doado em 1952, pelo então governador José Américo de Almeida.

De acordo com o diretor, essa área construída vai aumentar significativamente, agora, com o novo Núcleo de Quimioterapia, que será construído com verba federal proveniente de emenda parlamentar. São cerca de 30 novos postos de quimioterapia ambulatorial, que são poltronas de quimioterapia. O novo prédio vai ocupar uma área de aproximadamente 900 m².

O Hospital Napoleão Laureano também está ganhando um novo prédio para instalar a Central de Diagnóstico por Imagem e o Centro de Pesquisa Médica. “Os dois setores serão instalados em um prédio único, construído pela iniciativa privada, a partir de uma doação da Construtora Fibra. É uma área que importa em 1.800 m², térreo, primeiro andar e segundo andar”, detalhou.

Péricles Serafim Filho revelou que a lavanderia vai sair do local onde hoje funciona e vai ser instalada por trás do prédio do hospital, num galpão com instalações adequadas e específicas para essa finalidade. “E onde hoje é a lavanderia, vamos poder expandir a Central de Nutrição e Dietética, que está extremamente estrangulada pelo espaço físico insuficiente”, pontuou.

Hospital humanizado e estruturado para combater o câncer

Uma pequena cidade estruturada para fazer funcionar todas as atividades necessárias para atender aos portadores de câncer. É essa a impressão que o Hospital Napoleão Laureano (HNL) causa a quem o visita e observa atentamente a movimentação em suas dependências internas e em seus jardins e pátios externos.

O diretor administrativo do hospital, Marcelo de Oliveira Araújo, disse que é preciso um trabalho integrado entre todos os setores, seja nas atividades meio ou nas atividades fins, para que o Laureano, uma instituição especializada em oncologia e que funciona 24 horas por dia, possa cumprir sua principal finalidade que é disponibilizar um tratamento humanizado aos pacientes. “Todas as instalações físicas do hospital são voltadas para oferecer comodidade e conforto para minorar o sofrimento de quem está em tratamento de câncer”, assegurou.

Já a partir do pátio e jardins externos, arborizados com árvores frutíferas, plantas ornamentais e flores, até chegar ao salão da recepção do Hospital Napoleão Laureano, o usuário tem acesso a um ambiente aconchegante e apropriado para causar uma boa impressão e aliviar a tensão inicial das principais etapas trilhadas por um paciente no HNL, que são triagem médica ao chegar, consulta inicial com especialista, exames conforme a necessidade e retorno de consulta, além de tratamento que pode ser através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou uma combinação dos mesmos.

Marcelo Araújo explicou que, além da parte clínica e suas especialidades médicas, a instituição possui uma equipe administrativa e de apoio, como um todo, que vai da Seção de Gestão de Pessoal, Compras e Almoxarifado, Segurança no Trabalho, Rouparia e Lavanderia, Manutenção, Tecnologia da Informação, Engenharia Clínica, dentre outros núcleos de suporte.

A execução das manutenções preventivas e corretivas, contam com a equipe do Setor de Manutenção e Engenharia Clínica do hospital, além das empresas especializadas em manter em funcionamento os equipamentos de alta complexidade.

Já o diretor geral do hospital, Péricles Serafim, disse que logística de transporte do Napoleão Laureano é relativamente modesta, embora suficiente para atender a área administrativa, com relação às demandas operacionais internas e externas. “Temos uma ambulância pequena, uma camioneta para serviços internos e externos, basicamente isso. Também temos três motoristas. Um deles serve à Rede Feminina de Combate ao Câncer, uma contrapartida que a gente dá para a entidade, a fim de que possa ajudar a transportar os pacientes”, acrescentou.

O Hospital Napoleão Laureano também dispõe de uma Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF), que tem por objetivo o conjunto de atividades farmacêuticas designadas como farmácia hospitalar. Os serviços farmacêuticos são departamentos com autonomia técnica, sujeitos à orientação geral da Administração.

Outro setor importante na estrutura do hospital, do ponto de vista de alimentação, é o Serviço de Nutrição e Dietética (SND), subordinado à Diretoria Técnica Assistencial do Napoleão Laureano, que realiza assistência nutricional e educação alimentar a pacientes e acompanhantes, além de funcionários. A Diretoria Técnica Assistencial é chefiada por Maria Tereza Lira Batista Gama.

O objetivo principal do Serviço de Nutrição e Dietética é proporcionar, embasado em fundamentos técnicos, à assistência nutricional adequada, através da elaboração de dietas e orientações para os pacientes e da distribuição de refeições para os plantonistas e acompanhantes.

Na opinião de Marcelo Araújo, o Serviço de Nutrição e Dietética exerce particular importância na imagem do hospital, sendo decisivo o seu papel no restabelecimento da saúde dos pacientes e na redução do tempo de internação e do custo hospitalar.

Eficiência nos serviços de limpeza garantem higiene e controle de infecções

No Hospital Napoleão Laureano, limpeza e higiene são prioridades. É o que garante o diretor administrativo Marcelo Araújo. Ele reforça a ideia de que, na realidade, todos os setores de suporte administrativo formam um elo.

“A lavanderia hospitalar, por exemplo, é um dos principais serviços de apoio ao atendimento dos pacientes. É o setor responsável pelo o processamento e distribuição de enxovais e roupas usadas no hospital, em perfeitas condições de higiene, conservação e em quantidade. Ela contribui diretamente na eficiência do hospital, refletindo especialmente no controle de infecções”, argumentou.

Marcelo Araújo disse que a direção do hospital tem um cuidado especial com o lixo hospitalar, que é recolhido pela Serquip, empresa que ele considera pioneira na gestão do tratamento de resíduos sólidos. Com relação à coleta seletiva do lixo, Marcelo explicou que a segregação do lixo é feita por classificação, pelo tipo, ou seja, lixo comum, lixo hospitalar e lixo orgânico, visto que a classificação é necessária para fins de coleta e tratamento do mesmo. “Um lixo radioativo, por exemplo, precisa de cuidados especiais neste processo, o mesmo ocorre com o lixo hospitalar que se não for coletado e tratado de maneira correta poderá trazer sérios riscos às pessoas que com ele tiver contato”, alertou.

O diretor geral do Laureano, Péricles Serafim Filho detalhou que a coleta e descarte do lixo hospitalar é atualmente o único serviço terceirizado do hospital. “A empresa coleta diariamente o lixo hospitalar e segue todo aquele protocolo determinado pelos órgãos ambientais. Esse lixo é separado e incinerado, numa ação ecologicamente correta. Já o lixo comum produzido no hospital é coletado pela Prefeitura de João Pessoa”, esclareceu.

Projetos verdes – Péricles Filho destacou que a direção do Hospital Napoleão Laureano também tem uma preocupação com a preservação do meio ambiente. Ele explicou que o hospital está comprando equipamentos com leitor infravermelho de temperatura para substituir os termômetros de mercúrio.

“No hospital, cada paciente precisa de um termômetro e a gente está montando um projeto para abolir os termômetros de mercúrio, porque cada termômetro desses que é descartado, quando quebrado, o mercúrio vai para os mananciais de esgoto e como são poluentes à base de metais pesados, não tem como você depois tirar da natureza”, enfatizou.

Ainda na esteira dos projetos verdes, recentemente ficou acertada, com a Energisa, a instalação de painéis solares fotovoltaicos no Hospital Napoleão Laureano, para a captura de energia da luz solar.

“Por iniciativa da própria Energisa, de instalar esses equipamentos fotovoltaicos para captação da energia solar, passaremos a ter um desempenho mais verde no atendimento e produção das nossas necessidades hospitalares e também na diminuição de nossas despesas com energia elétrica”, realçou.

Ainda com relação à energia elétrica, Péricles Filho evidenciou que o hospital é autossuficiente para suprir com energia elétrica, em caso de problemas no fornecimento da rede externa. “Temos dois grandes geradores de energia elétrica que atendem a todo o hospital”, ressaltou.

No que se refere ao abastecimento de água, o hospital tem dois poços artesianos, dos quais um foi doado recentemente pelo Exército Brasileiro, em parceria com o Governo do Estado da Paraíba. “Temos, portanto dois poços artesianos que estão em pleno funcionamento. Essa água vai para um reservatório, onde é tratada, clorada e redistribuída para uso geral no hospital”, acresceu.

Péricles informou que o hospital utiliza uma pequena quantidade de água da Cagepa, apenas para funcionar algumas máquinas da Central de Esterilização de Material, porque a água de poço é muito calcária e pode danificar as referidas máquinas.



Fonte: Espaço Ecológico - A União



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Como restaurar o equilíbrio intestinal de cães e gatos

Leia Mais