Notícias

Ilhas Cagarras guardam sítio arqueológico tupi-guarani que remonta à era pré-colonial

Compartilhe:     |  8 de junho de 2014

O Projeto Ilhas do Rio, que conta com o patrocínio da Petrobras, fez uma importante descoberta arqueológica da história do Rio de Janeiro. Em suas expedições às Ilhas Cagarras, que ficam a cinco quilômetros da Praia de Ipanema, a equipe de pesquisadores descobriu uma quantidade significativa de cacos de cerâmica de tamanhos e formatos variados, além de uma variedade de artefatos de pedra polida ou lascada como machados e “quebra-coquinhos”, e raras peças em quartzo. A descoberta, ocorrida na Ilha Redonda, atraiu pesquisadores, que acreditam que os objetos são de índios tupi-guaranis e podem remontar a era pré-colonial.

O sítio foi registrado no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e será objeto de pesquisas arqueológicas para que seja esclarecida a importância desses vestígios. Os objetos ficam em uma região de cerca de 1.400 m², a uma altitude de 140m na face sudoeste da Ilha Redonda. O primeiro achado ocorreu durante uma expedição em dezembro de 2011.

Em março de 2012 foi realizada uma segunda visita que permitiu o reconhecimento do sítio arqueológico tupi-guarani. O local fica em um trecho de difícil acesso – o que ajudou na conservação das peças -, que exige escalada em rocha de cerca de 80 metros com inclinações de ate 55 graus.

Agora, os cientistas querem saber que motivações levavam os índios à Ilha Redonda. Com essas informações, será possível compreender melhor o modo de vida das populações que habitaram o litoral do Rio de Janeiro antes da colonização europeia. A descoberta contribui ainda para realçar o alto valor do Monumento Natural das Ilhas Cagarras, que guarda inestimáveis riquezas biológicas, foco do projeto patrocinado.



Fonte: Petrobras



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais