Medicina Verde

Janaúba: a planta medicinal milagrosa

Compartilhe:     |  14 de setembro de 2019

janaúba

Que na Natureza podemos encontrar a cura de várias doenças, nossos antepassados já sabiam e mesmo quando não havia a Ciência que temos hoje, eles atestavam na prática os poderes curativos das plantas através do conhecimento passado de geração para geração, pelos entendedores das propriedades medicinais das plantas, como são os curandeiros e raizeiros.

No Brasil, temos várias plantas que há tempos vêm sendo usadas e que são consideradas milagrosas, por quem já as utilizou e obteve a cura de seus males e este é o caso da Janaúba.

Neste conteúdo, serão passadas informações sobre dois tipos de Janaúbas, o que gera confusão e que é importante esclarecer a diferença, pois as duas tem algumas finalidades distintas e formas de usos diferenciadas e pertencem à famílias botânicas diferentes.

Uma é a Janaúba verdadeira e a oura é conhecida como Leiteira, e aqui serão estabelecidas as diferenças entre as duas, para saber qual é qual.

Além do mais, serão mostradas de forma mais aprofundada as propriedades e benefícios da Janaúba verdadeira, assim como formas de uso e contraindicações.

Acompanhe o que vem a seguir, para saber mais.

1. Janaúba verdadeira

O nome científico da Janaúba verdadeira é Himatanthus drasticus, conhecida popularmente por janaúna, janaguba, pau-santo, jaraúba, tiborno e iborna-dos-sertanejos.

É uma planta que cresce até 7 metros de altura, com folhagem abundante nos ramos de suas extremidades.

Esta planta se encontra de forma natural e espontânea nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Piauí, Maranhão, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Roraima.

2. Benefícios e Propriedades da Janaúba verdadeira

Na região Nordeste brasileira, a Janaúba verdadeira (Himatanthus drasticus) é muito conhecida por suas propriedades anticancerígena e antitumoral, entretanto, ainda existe poucos registros científicos sobre isso.

Independente das evidências científicas, essa planta é tida como milagrosa, devido aos relatos populares de curas obtidas com o emprego dessa planta.

Especialistas das Universidade Federal do Ceará e Universidade de Fortaleza fizeram um levantamento etnobotânico e etnofarmacológico com os raizeiros do Ceará para consolidar um estudo, com base nas informações passadas e experiências destes raizeiros sobre esta planta e seu efeito curativo.

Nesta pesquisa consta as seguintes informações sobre as propriedades da janaúba (Himatanthus drasticus):

Estudos fitoquímicos revelaram a presença de acetato de lupeol e proteínas, enquanto os estudos farmacológicos, os efeitos antiúlcera, antitumoral, imunomodulador, analgésico e anti-inflamatório.

Para realizar o levantamento sobre a janaúba foi elaborado um questionário, aplicado em entrevista a 21 raizeiros nos mercados das cidades de Crato, Fortaleza e Pacajus do estado do Ceará (CE).

Observou-se que 38,1% dos raizeiros têm mais de 10 anos de serviço e 47,6%, estão na faixa etária de 40 a 59 anos, o que representa um fator positivo quanto à experiência com plantas medicinais.

Aproximadamente 85,7% dos raizeiros relataram o uso do látex dessa planta para tratamento de úlcera; 66,7% para inflamação e 66,7% para câncer.

Desse trabalho de pesquisa e análise constatou-se que as principais indicações terapêuticas transmitidas pelos raizeiros sobre esta planta condizem com as informações científicas.

Este levantamento teve o objetivo de aliar o conhecimento tradicional, nos meios rurais e urbanos, e o seu valor histórico-cultural, com a pesquisa científica para a confirmação das indicações de uso desta planta. Leia aqui o estudo completo.

3. Usos medicinais da Janaúba verdadeira

A janaúba verdadeira pode ser usada como vermífugo, cicatrizante, anti-inflamatório, febrífugo (para baixar a febre), purgativa (como laxante), protetor estomacal, como remédio para doenças hepáticas (do fígado), para controlar menstruações irregulares, sanar problemas na pele, como pitiríase versicolor ou milíase (bicheira) e como tratamento em casos de câncer.

4. Formas de uso

Para usufruir de suas propriedades medicinais pode-se fazer o chá da casca, produzir o extrato das folhas ou extrair o leite da casca do seu tronco, o que adiante será explicado como se faz essa retirada.

5. Leite da Janaúba verdadeira

No Nordeste, é muito comum utilizar esta planta para fins medicinais e para isso se extrai o látex da casca do tronco dela, conhecido como Leite de Janaúba ou Janaguba.

Para se obter o leite dessa planta retira-se um pedaço de 10 até 30 cm da casca do tronco dessa espécie arbórea e, conforme sai o látex, vai se coletando esse líquido com uma colher e água introduzindo em uma garrafa de 1 litro até enchê-la.

A dosagem adotada pela tradição popular varia entre uma colher de sopa duas vezes ao dia até melhora dos sintoma ou uma xícara de chá por dia durante três meses.

Essa mistura deve ser conservada em ambiente frio, para manter suas propriedades medicinais intactas.

O Leite de Janaúba também é vendido pronto por raizeiros, porém, existem casos que se vende o produto de forma falsificada, fazendo passar por Leite de Janaúba, como por exemplo, outro leite que é extraído da mangabeira (Hancornia speciosa).

6. Contraindicações

Passando da dose adequada de consumo esta planta apresenta toxidade, provocando alterações no fígado, nos rins, falta de apetite, desordens gastrointestinais, perda de peso e infertilidade.

OBSERVAÇÃO: Antes de fazer uso desta planta como tratamento de saúde, consulte o médico para ter o diagnóstico dele.

7. Diferenças entre Janaúba verdadeira e Leiteira

Há confusão entre a distinção destas duas espécies diferentes, que costumam ser tratadas como se fossem a mesma.

Isso é muito perigoso, pois, se a leiteira (Euphorbia umbellata, também conhecida como Synadenium grantii) for utilizada na mesma dosagem que costuma se indicar a janaúba verdadeira (Himatanthus drasticus) pode vir a causar intoxicação, pois apresenta um nível de toxidade maior quando utilizada em dosagem a mais.

A janaúba verdadeira ou brasileira, tradicionalmente é preparada na proporção 50% de látex da planta e 50% de água, em contrapartida, a leiteira, por conta de sua alta toxidade é preparada com 18 gotas de látex para cada litro de água, acima dessa dosagem a leiteira apresenta severo risco de intoxicação.

Outras precauções que precisa se ter com a leiteira é o contato do látex dessa planta na pele, mucosas e olhos, pois, pode causar danos e problemas sérios nessas áreas.

Outra diferença entre Janaúba verdadeira e Leiteira é que a janaúba verdadeira que é nativa do Brasil, a Leiteira é de origem africana.

A leiteira também é conhecida como leiteiro ou leitosinha e pode atingir de 2,5 a 3 metros de altura, e é utilizada para fins medicinais, como tratamento de verrugas, olho de peixe e diversos tipos de câncer.

O que existe em comum entre as duas plantas é a atividade antitumoral e anticancerígena e a produção do látex através do tronco desses vegetais. Por isso, as pessoas acabam se confundindo e tomando uma pela outra.

8. Janaúba verdadeira, a planta milagrosa

Com provas científicas ou não, existem vários relatos de populares que fizeram uso desta planta, atestando a sua eficácia, até em se tratando de doenças como câncer.

É fato que se comprova a eficiência de um tratamento pelo resultado que este produz, promovendo a cura e este é o caso da Janaúba verdadeira, por isso, não é a toa que é considerada milagrosa!

Não obstante o conhecimento popular, as informação aqui contidas não substituem a visita médica. Nunca se automedique! Nem mesmo com remédios naturais e caseiros.



Fonte: Greenme - Deise Aur



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais