Notícias

Junk food: sal, açúcar e gordura que viciam; conheça opções de receitas

Compartilhe:     |  3 de setembro de 2014

Batata-frita, hambúrguer, chocolate e outros doces, milkshake, pizza, cachorro-quente, frituras, bolos e salgadinhos… Começou a comer, não dá pra parar. Não é apenas impressão: comer besteira vicia. Pesquisadores do mundo todo estão tentando entender o que acontece com o organismo viciado em comidas hipercalóricas e gordurosas.

Sabe-se que a obesidade é o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças do metabolismo como a hipertensão, o diabetes e outras doenças crônicas. Diante da estimativa divulgada pela Organização Mundial de Saúde de que pelo menos 10% da população adulta no mundo está muito além do peso, os estudiosos estão procurando maneiras de criar mecanismos para influenciar os costumes alimentares e estimular o consumo de produtos saudáveis e naturais.

Um estudo da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, revelou que, para além de engordar, comer “junk food” diminui o interesse por uma alimentação saudável e equilibrada. A partir de uma experiência feita com ratos, os cientistas perceberam que o cérebro da maior parte dos mamíferos perde a vontade de experimentar novidades e ampliar o cardápio alimentar quando se familiariza com os sabores do excesso de açúcares, sal e gorduras. Ficou claro o que todo mundo já sabe: fazer dieta em um contexto viciado em excesso de comida e opções de alimentação repleta de besteiras é realmente difícil.

— Os sabores extremos do exagero de açúcar, sal e gorduras provocam uma tara que faz com que os sabores sutis pareçam sem gosto — explica o endocrinologista Daniel Benchimol, membro da equipe do Hospital Universitário da UFRJ.

Partindo da ideia de que ninguém nasce gostando mais de batata frita que as massas integrais, um novo estudo da Universidade de Tufts procurou recondicionar a alimentação de voluntários obesos com um programa alimentar de seis meses. Com uma dieta rica em fibras e carboidratos de baixo teor glicêmico, que são as opções de carboidratos complexos e integrais, a pesquisa mostrou que é possível mudar as preferências por alimentos mais saudáveis, deixando os junk food menos tentadores. Os impulsos e vontade de comer das pessoas com sobrepeso e obesas foram observados por ressonância magnética e ficou comprovado que a prática alimentar muda os tipos de produtos que despertam interesse.

— O organismo viciado desenvolve um processo de desensibilização, que é uma indução enzimática que condiciona o cérebro a achar gratificante essa alimentação, mesmo que ela não seja boa para o corpo — diz Dr. Benchimol.

Para o médico, além de recondicionar a alimentação, a prática de exercícios intensos ajuda na melhora das condições de sáude do corpo, como também induz a produção de moderadores de apetite que reduzem a necessidade de comer muito. Além disso, o exercício tem ações antiinflamatórias e antidepressivas, sendo a melhor companhia para uma reeducação alimentar.

 

Molho e salada para sanduíche do Vegetê.
Molho e salada para sanduíche do Vegetê. Foto: Divulgação

Receitas para substituir os junk foods tradicionais

O casal Chico e Maria lançou em 2012 o Vegetê: um isoporzinho que vendia hambúrgueres vegetarianos na noite carioca. O projeto começou no pré-carnaval, com o intuito de juntar dinheiro para comprar uma moto – a do casal tinha sido roubada. Com o sucesso das vendas e a descoberta de uma gravidez, a dupla de atores resolveu abraçar o negócio e hoje é responsável por entregas e vendas de congelados de uma lista bastante variada de produtos saudáveis.

Da mesma forma, outros cariocas resolveram aderir à alimentação cuidadosa lançaram seus projetos no mercado, que têm forte adesão. O EXTRA conversou com chefs responsáveis por iniciativas de negócios que viciam seus clientes pela qualidade dos produtos, sem exagerar no açúcar, sal e gordura.

Veja abaixo as receitas de opções saudáveis para hambúrgueres, pão, molho para sanduíche e snack salgadinho da Cozinha Comuna, do restaurante Refeitório Orgânico, da cozinha caseira do Vegetê e do Espaço Caverna.

Pão integral para hambúrguer do Espaço Caverna

– 350g de farinha de trigo convencional

– 150g de farinha integral

– 3g de fermento biológico em pó

– 250ml de água

– 12g de sal

– 100g de manteiga

Misturar as duas farinhas com o fermento biológico. Adicionar aos poucos a água bem quente, batendo a massa aos poucos, para misturar bem. Acrescentar o sal. Quando a massa estiver bem lisa, incluir a manteiga e continuar a manusear por cerca de 10 minutos. Enrolar em papel plástico ou em uma toalha úmida e deixar a massa descansar por cerca de 1h até que ela dobre de volume (se estiver frio ela demora mais para inchar). Modelar em dez porções de 100g e deixar as bolinhas cobertas com toalha úmida descansarem em um tabuleiro untado até que dobrem de volume novamente. Assar em forno pré-aquecido a 200 graus por 8 a 10 minutos.

Hambúrguer bovino do Espaço Caverna

– 1800g de fraldinha moída

Fazer dez bolinhos em formato de hambúrguer com 180g de carne, que deve ser temperada com pouco sal e pimenta apenas na hora de fritar. Passar na frigideira bem quente e servir no ponto que preferir. Uma opção mais saudável é cozinhar os hambúrgueres no vapor por 12 minutos.

— Hamburguer pra ser bom não precisa de nada além de uma carne boa e carinho — diz Aline Tavares, chef e uma das sócias do bar e restaurante Espaço Caverna.

Hambúrguer vegano do Refeitório Orgânico

– 500g tofu

– um amarrado de espinafre

– meia cebola

– azeite extra virgem

– óleo

– meia xícara de farinha de trigo integral

Retirar bem a água do tofu e amassá-lo com as mãos. Refogar a cebola no óleo e acrescentar o tofu. À parte, debulhar o espinafre, dar um susto no vapor (colocar rapidamente em água quente, mas sem deixar ferver e perder as propriedades do alimento). Tirar da água, escorrer bastante as folhas, apertando bem até que fique bem sequinho. Picar o espinafre com a faca e misturar no tofu refogado até um pegar o gosto do outro. Apagar o fogo. Temperar com azeite e esperar esfriar. Colocar a farinha de trigo aos poucos até dar a liga e fazer bolinhos em formato de hamburguer. Passar na chapa e servir.

Molho com salada para sanduíche do Vegetê

ingredientes salada

– três xícaras de salsão cortado em fios

– três xícaras de cenoura ralada (no ralador grosso)

– uma maçã cortada em palitos

– três talinhos de cebolinha

– sal e pimenta do reino

ingredientes molho

– duas colheres de sobremesa de mostarda (de preferência usar mostarda Dijon)

– quatro colheres de sopa de azeite

– duas colheres de sobremesa de vinagre de maçã

Misturar todos os ingredientes da salada e temperar com sal e pimenta do reino. O molho deve ser misturado e batido em um liquidificador ou mixer. Despejar um no outro e misturar bem. Está liberado temperar com ervinhas, mas evite o excesso de sal.

Palitinhos de Abobrinha da Cozinha Comuna

– abobrinhas

– ovo

– farinha de trigo integral

– farinha de rosca (de preferência a fresca Panko, mas é possível usar um pão integral que esteja duro e transformar em farinha)

Cortar a abobrinha em bastão (tiras compridas). Fazer o processo de empanar normal: passar os palitinhos na farinha de trigo integral, depois no ovo e depois na farinha de rosca temperada com sal e pimenta do reino. Aquecer uma assadeira com azeite no forno a 180 graus e assar os palitinhos em uma camada só, sem sobreposição, por 15 minutos. Virar as abobrinhas e deixar assar por mais 15 minutos. Se precisar deixá-la crocante de novo é só voltar no forno por mais 6 minutinhos.



Fonte: Extra - Luiza Toschi



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Educação canina para iniciantes: 5 dicas

Leia Mais