Notícias

Legado de sustentabilidade da Copa é abordado em encontro com russos

Compartilhe:     |  20 de junho de 2014

A Copa do Mundo deixará como legado mudanças culturais e de valores, como a sustentabilidade. O assunto foi discutido na segunda-feira (17), durante o encontro entre a equipe organizadora do Mundial, em Cuiabá, e a delegação russa, na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Cuiabá.

Na ocasião, o engenheiro responsável pela Arena Pantanal, João Paulo Borges Curvo, ressaltou a missão em construir um estádio e promover redução do consumo energético, reciclagem e reuso das águas da chuva. “O projeto da Arena Pantanal foi premiado com a medalha de ouro na categoria Empreendimentos Públicos do The Americas Property Awards 2010. O Estado do Mato Grosso foi pioneiro em construir um estádio com esse foco e daqui para frente todas as Copas terão que ter um certificado sustentável”.

Segundo João Paulo, além do foco no meio ambiente, o governo do Estado também desenvolveu ações sociais em Cuiabá. Para isso, foi viabilizado projetos que reintegraram pessoas do sistema prisional à sociedade, dando oportunidade de trabalho durante a execução das obras no município.

Durante o encontro, o assessor especial de mobilidade urbana da Secopa, Rafael Detoni, ressaltou que a modernização e a valorização do sistema de transporte coletivo beneficiara 350 mil pessoas diariamente.

De acordo com Detoni, Cuiabá destacou-se entre as 12 cidades sedes da Copa com o maior legado em infraestrutura de circulação. “Esse conjunto de obras é para melhorar a vida do cidadão mato-grossense e não apenas para a Copa do Mundo”, afirmou.

Outro aspecto abordado foi a concepção da Fun Zone. No evento, o superintendente do aeroporto de Cuiabá, João Marcos Coelho, que o espaço criado para atender especialmente os torcedores em trânsito no aeroporto, com opções de lazer e entretenimento, foi projetada com foco na sustentabilidade.

“As madeiras utilizadas para montar a estrutura da Fun Zone são de material reaproveitado. Durante todas as execuções das obras, a maior preocupação do Estado do Mato Grosso foi sempre com a preservação ambiental”.

Para encerrar, Mauricio Guimarães enfatizou a satisfação de liderar um evento como a Copa do Mundo. “O evento deixa para Cuiabá legados: social, esportivo, ambiental, urbano, de conhecimento e promoção do Estado do Mato Grosso para o mundo”.

O encontro foi uma solicitação da Embaixada da Rússia com a finalidade de compartilhar os desafios e legados duradouros para as cidades sedes, bem como, impulsionar a renovação urbana sustentável e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. (Rose Gobel/Secopa)



Fonte: Diário de Cuiabá



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Cadela cega explorada para reprodução é salva e se torna amiga de menino com deficiência

Leia Mais