Notícias

Lixão na Índia deve superar a altura do Taj Mahal até 2020

Compartilhe:     |  5 de junho de 2019

O maior lixão de Nova Délhi deve superar a altura do Taj Mahal no próximo ano. A montanha de lixo é um símbolo fétido da capital indiana, considerada pela Organização das Nações Unidas (ONU) a mais poluída do mundo.

Ocupando uma área equivalente à 40 campos de futebol, o lixão de Ghazipur cresce cerca de 10 metros por ano e já mede mais de 65 metros de altura, segundo Arun Kumar, engenheiro superintendente da região leste de Nova Délhi.

Se mantiver o ritmo de crescimento atual, a montanha de lixo deve superar o icônico Taj Mahal, ponto turístico na cidade de Agra que mede 73 metros de altura.

Origem do lixão

O lixão de Ghazipur foi criado em 1984 e chegou ao limite de sua capacidade em 2002, quando deveria ter sido fechado. Mas os detritos da cidade continuaram chegando.

“Cerca de 2 mil toneladas de lixo são despejadas em Ghazipur a cada dia”, disse um oficial da prefeitura que não quis se identificar.

Em 2018, parte da montanha de lixo desabou durante uma tempestade, matando duas pessoas. A deposição de novos resíduos foi proibida logo após as mortes, mas a medida durou pouco, já que as autoridades não encontraram depósitos alternativos para o lixo da capital.

Montanha de lixo de Ghazipur prejudica a saúde dos moradores de Nova Délhi, na Índia. — Foto: Money Sharma/AFP

Montanha de lixo de Ghazipur prejudica a saúde dos moradores de Nova Délhi, na Índia. — Foto: Money Sharma/AFP

Saúde e meio ambiente em risco

Incêndios causados pelo gás metano que é liberado pelo lixo acontecem com frequência em Ghazipur e levam dias para serem combatidos.

Shambhavi Shukla, pesquisador do Centro para Ciência e Desenvolvimento de Nova Délhi, avalia que o metano que surge do lixo pode se tornar ainda mais perigoso quando entra em contato com o ar.

Montanha de lixo de Ghazipur, na cidade indiana de Nova Délhi, deve superar altura do Taj Mahal nos próximos anos. — Foto: Prakash Singh/AFP

Montanha de lixo de Ghazipur, na cidade indiana de Nova Délhi, deve superar altura do Taj Mahal nos próximos anos. — Foto: Prakash Singh/AFP

Um estudo recente mostrou que o resíduo produzido pelo lixão era um risco para a saúde das pessoas morando em um raio de 5 quilômetros da montanha de lixo.

O chorume, um líquido escuro e tóxico, escorre do lixão para um canal local. Moradores da região dizem que o odor dificulta a respiração.

“O cheiro venenoso transformou nossas vidas em um inferno. As pessoas ficam doentes o tempo todo”, reclama Puneet Sharma, um morador local de 45 anos.

O médico Kumud Gupta atende cerca de 70 pessoas por dia na região do lixão, incluindo crianças e bebês, com problemas respiratórios e gastrointestinais provocados pela contaminação do lixão.

Campeões da poluição

Um estudo governamental mostrou que, entre 2013 e 2017, 981 pessoas morreram em Nova Délhi de infecções respiratórias. Mais de 1,7 milhões de pessoas têm doenças respiratórias na cidade.

As cidades indianas estão entre as que mais produzem lixo, geram cerca de 62 milhões de toneladas anualmente. Até 2030, a cifra pode chegar a 165 milhões de toneladas, de acordo com estatísticas oficiais.

Quando assumiu em 2014, o primeiro-ministro indiano Narendra Modi lançou a Operação Índia Limpa, que construiu dezenas de milhares de banheiros públicos e criou uma nova política de administração de resíduos em 2016.

Moradores recolhem lixo de Ghazipur, o maior lixão de Nova Délhi. — Foto: Xavier Galiana/AFP

Moradores recolhem lixo de Ghazipur, o maior lixão de Nova Délhi. — Foto: Xavier Galiana/AFP



Fonte: G1 - France Presse



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais