Notícias

Lixo plástico deixado nas praias de Salinas é risco à saúde de moradores e turistas

Compartilhe:     |  15 de julho de 2019

O lixo deixado nas praias de Salinas, principalmente o plástico, traz riscos à saúde de moradores e turistas. Segundo uma pesquisa desenvolvida pela UFPA, o plástico se quebra em pequenas partículas (microplásticos), se mistura na água e acaba sendo ingerido por peixes e mariscos, que são consumidos pela população.

A ingestão de plástico pode causar diversos problemas, principalmente no trato gastrointestinal, e pode interferir na resposta imunológica do intestino. “Essas partículas podem ser acumuladas na cadeia alimentar e consequentemente chegar até as nossas mesas. A presença do plástico no meio ambiente leva à ingestão acidental por espécies de importância socioeconômica como diversos caranguejos, camarões, ostras e peixes”, afirma o professor José Eduardo Martinelli, autor da pesquisa.

Além disso, muitos desses plásticos ingeridos são tóxicos e podem causar problemas hormonais e reprodutivos em espécies marinhas, afetando sua procriação. “Diversos tipos de plástico podem possuir aditivos tóxicos, como substâncias que retardam sua combustão ou queima. Além dessas substâncias que podem estar presentes no microplástico, essas partículas também podem absorver metais pesados e contaminantes orgânicos, tornando-as potencialmente danosas quando ingeridas acidentalmente por animais”, explica a oceanógrafa Raqueline Monteiro, coautora da pesquisa.

Os microplásticos podem levar séculos até se degradarem em partículas ainda menores e persistir por tempo indefinido nas praias, manguezais e outros ambientes naturais. Por isso, o ideal é que todo o lixo inorgânico gerado em zonas costeiras seja destinado para coleta seletiva e reciclagem.



Fonte: G1 PA - Belém



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Estresse passa do dono para o cachorro

Leia Mais