Notícias

Mais de 1,5 tonelada de lixo foi retirado da rede de esgoto em junho, diz Caern

Compartilhe:     |  20 de julho de 2014

Uma das maiores dificuldades da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte é o descarte de lixo inadequado que é lançado diariamente na rede de esgotos. No mês de junho, por exemplo, a Caern afirma ter retirado, somente da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) do Baldo, na Zona Leste de Natal, mais de 1,5 tonelada de lixo, material oriundos dos mais diversos bairros atendidos pelo esgotamento da capital.

“A cada 30 minutos, ou menos, realizamos a limpeza de materiais encontrados no sistema de gradeamento, que antecede a efetiva desinfecção do esgoto”, explica Paulo Eduardo Cunha, analista ambiental da Caern.

Ainda de acordo com a Caern, a falta de consciência ambiental da população, que joga lixo dentro de vasos sanitários ou mesmo nas ruas, causa transtornos como o entupimento da rede coletora e, consequentemente, refluxo do esgoto nas residências e vias públicas. Dentre os materiais mais comuns lançados na rede de esgoto estão as fraldas descartáveis e absorventes, preservativos e cigarros.

Malefícios
Para a Caern, o descarte de lixo na rede de esgotamento sanitário vai além da poluição do meio ambiente: o vazamento de esgoto em residências e vias públicas ocasiona mau cheiro e o possível aparecimento de ratos, aumentando o risco de problemas de saúde à população.

Quanto ao prejuízo causado à Caern, o lixo encontrado nas redes de esgoto pode danificar os equipamentos, o que obriga à mudança da rotina operacional nas ETEs, gerando um gasto maior com a manutenção e descarte desse lixo no aterro sanitário, o que não seria necessário se o lixo fosse eliminado de forma correta pela população.



Fonte: G1 RN



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

5 coisas horríveis que você não sabia que aranhas podem fazer com você

Leia Mais