Notícias

Milhões de animais são explorados em testes na Alemanha

Compartilhe:     |  26 de dezembro de 2018

Embora o governo tenha prometido restrições, a quantidade de animais explorados em testes permanece alta e propícia a aumentar no país.

Cerca de 2,8 milhões de animais foram usados em experimentos científicos e testes na Alemanha no ano passado, segundo dados do governo enviados à Comissão Européia.

A grande maioria dos animais envolvidos nos testes eram roedores, com cerca de 1,37 milhões de camundongos e 255.000 ratos explorados. Outros 240.000 peixes também foram vítimas, junto com 3.300 cães e 718 gatos, de acordo com dados do Ministério da Agricultura.

O número de macacos usados em experimentos subiu acentuadamente em 2017, de 2462 no ano anterior para até 3472 indivíduos. Os macacos são usados principalmente em pesquisas médicas, embora o número espécies permitidas para testes na Alemanha seja limitado.

Pesquisadores estão proibidos de explorar espécies grandes como chimpanzés, orangotangos e gorilas em experimentos, os últimos testes realizados aconteceram em 1991. Cerca de 50% dos animais foram explorados em “pesquisas básicas”, testes realizados em áreas do sistema imunológico e do sistema nervoso dos animais, de acordo com o governo alemão.

Outros 27% foram explorados em testes para a produção de medicamentos e outras drogas farmacêuticas, enquanto cerca de 15% foram vítimas de experimentos com doenças humanas e animais. Segundo o ministério, 740 mil animais foram mortos para a retirada de seus órgãos ou células para pesquisas futuras.

A Alemanha tem um dos maiores índices de realização de testes em animais na União Europeia, ficando atrás apenas do Reino Unido. A Comissão Européia acusou o governo de Angela Merkel, atual chanceler federal da Alemanha, de não adaptar as legislações o suficiente para restringir a prática.

Apesar da União Europeia ter proibido os testes em animais para produtos cosméticos em 2004, ainda é permitido realizar testes em animais para pesquisa científica e médica.

À luz dos dados mais recentes, a ministra da Agricultura, Julia Klöckner, disse que o governo está empenhado em reduzir os números e em adaptar as leis alemãs para cumprir as diretrizes da UE. “Eu quero que o número de experimentos com animais seja reduzido continuamente. Os animais são criaturas semelhantes e merecem nossa simpatia”

Embora o governo de coalizão de Merkel tenha prometido buscar alternativas aos testes em animais, Berlim recebeu críticas de Bruxelas sobre os índices de experimentos em animais.

Garantias do governo de Merkel não vão longe o suficiente para defensores do bem-estar animal e do Partido Verde da oposição. “Precisamos de uma estratégia de saída clara agora”, disse a parlamentar Renat Künast, do Partido.



Fonte: ANDA - Yasmin Ribeiro



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Medicamentos e remédios caseiros: o que fazer e o que não fazer?

Leia Mais