Notícias

Ministério da Saúde lança campanha pela doação de leite materno

Compartilhe:     |  21 de Maio de 2015

“Seja doadora de leite materno e faça a diferença na vida de muitas crianças.” Esse é o tema da Campanha Nacional de Doação de Leite Materno 2015 lançada nesta quarta (20) pelo Ministério da Saúde.

O objetivo da ação é reforçar a importância do leite humano para o desenvolvimento de recém-nascidos. O Brasil atualmente conta com 215 bancos de leite e 98 postos de coleta distribuídos em todos os estados, o que faz com o que o Banco de Leite Humano Brasileiro seja considerado uma referência internacional (confira aqui a lista completa de bancos de leite). Mesmo assim, o volume coletado representa de 55% a 60% da real demanda no país. Em 2014, foram coletados, em todo o país, 184 mil litros de leite materno, o que beneficiou 170 mil recém-nascidos, segundo dados do Ministério.

“Temos números grandiosos: hoje são 164 mil mulheres doadoras“, comentou o Coordenador da Saúde da Criança e do Aleitamento Materno, o pediatra Paulo Bonilha. De 2008 até hoje, o número de doadoras aumentou 30% e cerca de 8 milhões de mulheres brasileiras já foram contempladas com doações. Mas esses números ainda podem melhorar. “A meta é ampliar em 15% as doações para bebês prematuros”, ressaltou a ministra do Estado da Saúde interina, Ana Paula Menezes Sóter. Cada litro de leite doado pode ajudar até 10 bebês que nasceram antes da hora.

Além dos benefícios que a doação traz à saúde, como ajudar a mãe a perder os quilos ganhos durante a gestação e proteger os bebês que recebem o leite de infecções, diareias e alergias, há outros ganhos. “O banco de leite tem se prestado a uma função muito importante que é ser um centro de orientação para as mulheres em relação ao aleitamento materno”, ressaltou o coordenador da Rede Brasileira de Leite Humano, João Aprígio. Por isso, vale lembrar que tanto a amamentação como a doação de leite não dependem só da mulher, mas sim, do apoio que ela vai receber da família, da sociedade, do seu local de trabalho.

O lançamento da campanha também contou com a presença da atriz e escritora Maria Paula Fidalgo, ‘ex-Casseta e Planeta“, que é embaixadora e “musa” da Rede Brasileira de Bancos de Leite. Ela contou que sua participação na campanha começou quando deu à luz sua primeira filha, Maria Luisa, hoje com 10 anos. Maria Paula comentou sobre o ato de amamentar: “Se esse vínculo afetivo for muito bem feito, uma janela de oportunidades para a vida inteira está acontecendo. Quando a mulher amamenta, ela cumpre um papel social e precisa de todo o apoio da sociedade. Estamos falando de transformação social efetiva, verdadeira”.

Como doar

Não há restrições para doação de leite, basta que a mulher esteja amamentando e com a saúde em dia. Muitas ficam com receio de que o leite seque, mas a doação na verdade estimula a produção.

Antes de fazer a ordenha, a mama deve ser lavada apenas com água e, sem seguida, seca com uma toalha limpa. Para evitar a contaminação, as doadoras devem tomar o cuidado de cobrir os cabelos com um lenço ou usar uma touca. O leite deve ser coletado em local limpo e tranquilo e pode ficar no freezer ou no congelador da geladeira por até 10 dias. Nesse período, deve ser levado até o Banco de Leite mais próximo da sua casa.

Para mais informações, acesse o site do Ministério ou ligue para o Disque Saúde, no número 136.



Fonte: Revista Crescer



Leia também:

Projetos ambientais
Aqui você é o Reporter

Espaço Animal

Holanda se torna o primeiro país sem cães abandonados – e não precisou sacrificar nenhum

Leia Mais